Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorVieira, Marcelo Pustilnik de Almeida
dc.creatorPalazuelos, Alexandra Carvalho Pereira de
dc.date.accessioned2017-09-13T16:03:35Z
dc.date.available2017-09-13T16:03:35Z
dc.date.issued2014-11-28
dc.date.submitted2014
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/11675
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação, Curso de Especialização em Gestão Educacional, EaD, RS, 2014.por
dc.description.abstractTeniendo en cuenta el derecho de los pueblos indígenas a una Educación diferente y intrínseca de acuerdo con su cultura, esse trabajo se propone investigar cómo se ha producido la política de funcionamiento para las escuelas indígenas de la Tierra Indígena Guarita, RS, en la práctica. Aún más, sabiendo que muchas veces los indígenas no conocen sus propios derechos. Es decir, ¿ Lo que realmente sucede en la práctica en las escuelas de la T. I. Guarita es una educación indígena - la educación formal en el área indígena - una educación que se impone por la sociedad no indígena a estas personas, o, a la inversa, si es una escuela de educación indígena predominante - escola indígena diferenciada - que respeta la cultura, las tradiciones y las características propias de cada pueblo? Por lo tanto, esa investigación tiene como objetivo identificar, a través de un análisis crítico la realidad de las escuelas indígenas en de la Tierra Indígena Guarita com respecto a la gestión de la escuela indígena en relación con el grado de reconocimiento y aplicación del derecho constitucional de los Kaingang y pueblos Guaraní Mbya de ejercer sus propios procesos pedagógicos con la libertad en la configuración de sus centros de enseñanza. Para este fin, se utilizó una investigación cualitativa, a través de un análisis de contenido en el estudio de caso, con herramientas para la recolección de datos: observacional y comparativo (entre las escuelas indígenas). Y tiene como aspiración emplear los resultados de esa investigación en información para que las comunidades escolares indígenas investigadas y otras puedan utilizar. Contribuyendo de este modo a sus reflexiones y ajustes a las políticas a favor de una educación diferenciada, que tienen el derecho.spa
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectGestão escolar indígenapor
dc.subjectEducação diferenciadapor
dc.subjectPolítica de funcionamento das escolas indígenaspor
dc.subjectEducación diferenciadaspa
dc.subjectPolítica operativa para las escuelas indígenasspa
dc.subjectGestión escolar indígenaspa
dc.titleDesafios para uma gestão escolar diferenciada na terra indígena Guarita, RSpor
dc.title.alternativeDesafios para una gestion educativa diferenciada en la tierra Indígena Guarita, RSspa
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Especializaçãopor
dc.degree.localPolo de Três Passos, RS, Brasilpor
dc.degree.specializationGestão Educacional, EaDpor
dc.description.resumoTendo em vista o direito dos povos indígenas a uma Educação diferenciada e intrínseca de acordo com a sua cultura, esta pesquisa propõe investigar como a política de funcionamento para as escolas Indígenas da Terra Indígena Guarita, RS, tem ocorrido na práxis (ainda mais, sabendo que muitas vezes os indígenas não conhecem seus próprios direitos). Ou seja, o que ocorre de fato na práxis nas escolas da T.I. Guarita é uma educação escolar indígena - escola formal em área indígena - aquela que é imposta pela sociedade não-indígena a estes povos, ou, contrariamente, se predomina uma educação indígena escolar - escola indígena diferenciada - que respeita a cultura, tradições e as especificidades de cada povo? Assim, este trabalho tem como objetivo identificar, através de uma análise crítica, a realidade das escolas indígenas na Terra Indígena Guarita quanto à gestão escolar em relação ao grau de reconhecimento e aplicabilidade do direito constitucional dos povos Kaingang e Guarani Mbya de exercer seus próprios processos pedagógicos com liberdade na conformação de seus estabelecimentos de ensino. Para tanto, foi utilizada uma pesquisa qualitativa, através de uma Análise de Conteúdo, dentro do Estudo de Caso, com instrumentos de coleta de dados: observacional e comparativo (entre escolas indígenas). Aspirando que os resultados dessa investigação sirvam como informações que as comunidades escolares indígenas pesquisadas e outras possam utilizar. E assim contribuir para as suas reflexões e adequações às políticas em favor de uma educação diferenciada, a que têm o direito.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAOpor
dc.publisher.unidadeCentro de Educaçãopor


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

  • Gestão Educacional - EaD [348]
    Coleção dos trabalhos de conclusão do Curso de Especialização em Gestão Educacional - EaD

Mostrar registro simples

Acesso Aberto
Exceto quando indicado o contrário, a licença deste item é descrito como Acesso Aberto