Mostrar registro simples

dc.creatorBellé, Adilson Roberto
dc.date.accessioned2015-03-26
dc.date.available2015-03-26
dc.date.issued2014-09-25
dc.identifier.citationBELLÉ, Adilson Roberto. EXTRACTIVE OF BUTIA AND PINION IN REGION OF THE CAMPOS DE CIMA DA SERRA (RS): A SOCIOBIODIVERSITY VALORISATION BY SETTLEMENTS AND TRADITIONAL COMMUNITIES. 2014. 156 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/8907
dc.description.abstractThis study aims to understand the conceptions about the process of appropriation of butia (Butia eriospatha) and pinion, seed of Araucaria (Araucaria angustifolia), present in Araucaria Forest - in the region of the Campos de Cima da Serra of Rio Grande do Sul (RS), Brazil - through the process of extraction adopted by settlers for land reform and traditional extractive community. The subjects of this study were a group of six settled families living in Nova Esmeralda Settlement, located in the city of Pinhal da Serra (RS), which comes from the year 2010 involving the extraction of butia to other productive activities of its production plant families and a group of eleven families of extractive pinion in the city of Muitos Capões (RS), which historically developed this activity. The method employed was qualitative research that seeks to understand the social, cultural, economic and ecological conditions studied by the studied subjects and from the concepts that explain the uses and purposes of these native species. The research included a literature and document review; interviews to both groups as well to key informants and technical advisory organizations. For data analysis, we attempted to reference in Oliveira (2012), which points as a method of defining units of analysis as well as theoretical and empirical categories. The literature review focused on the process of social metabolism and metabolism with nature, which focused on the appropriation process of nature. Besides, there were sought references about the ecological culture and environmental rationality to understand the processes that occur in traditional communities and with peasants. And also biodiversity conservation stimulated by its use. The study is completed by pointing out that the economic dimension is the aspect of larger motivation in the two largest public studied, whatever the use in feeding is resident, the common understanding between the two audiences is conservation of Araucaria and butia to continue generating income. The cultural dimension was also present especially in extractive pinion people, who have a long-standing traditional knowledge. The dimension of social organization is more evident in settlers. The extent of conservation is increasingly evident when the nature's resources generate greater economic value. Finally, it is mentioned that nowadays there is a sustainable metabolism with nature, so that, production systems are redesigned based on Agroecology and incorporate sociobiodiversity species.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectMetabolismo com a naturezapor
dc.subjectExtrativismopor
dc.subjectAssentamentospor
dc.subjectComunidades tradicionaispor
dc.subjectMetabolism with natureeng
dc.subjectExtractioneng
dc.subjectSettlementseng
dc.subjectTraditional communitieseng
dc.titleEXTRATIVISMO DO BUTIÁ E DO PINHÃO NA REGIÃO DOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA (RS): A VALORIZAÇÃO DA SOCIOBIODIVERSIDADE POR ASSENTADOS E COMUNIDADES TRADICIONAISpor
dc.title.alternativeEXTRACTIVE OF BUTIA AND PINION IN REGION OF THE CAMPOS DE CIMA DA SERRA (RS): A SOCIOBIODIVERSITY VALORISATION BY SETTLEMENTS AND TRADITIONAL COMMUNITIESeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoO presente trabalho tem como objetivo compreender as concepções sobre o processo de apropriação do butiá (Butia eriospatha) e do pinhão, semente da Araucária (Araucaria angustifolia), presentes na Floresta de Araucárias - na região dos Campos de Cima da Serra do Rio Grande do Sul - mediante o processo de extrativismo adotado por assentados de reforma agrária e comunidade tradicional de extrativistas. Os sujeitos da pesquisa foram um grupo de seis famílias assentadas no Assentamento Nova Esmeralda, no município de Pinhal da Serra (RS), que vem desde o ano de 2010 associando o extrativismo do butiá às demais atividades produtivas de sua unidade de produção e, um grupo de onze famílias extrativistas de pinhão do município de Muitos Capões (RS), que historicamente desenvolvem essa atividade. O método empregado foi a pesquisa qualitativa, que busca compreender as condições sociais, culturais, econômicas e ecológicas vivenciadas pelo público estudado e a partir disso explicar as concepções sobre os usos e finalidades destas espécies nativas. A pesquisa contou com uma revisão bibliográfica e documental; entrevistas aos dois públicos e também a informantes-chave e técnicos de organizações de assessoria. Para a análise dos dados, buscou-se referência em Oliveira (2012), onde aponta como método a definição de categorias teóricas, categorias empíricas e unidades de análise. A revisão bibliográfica centrou-se no processo de metabolismo social e metabolismo com a natureza, do qual focouse no processo de apropriação natureza. Também buscou-se referências sobre a cultura ecológica e a racionalidade ambiental para compreender os processos que ocorrem nas comunidades tradicionais e nos camponeses. E também a conservação da biodiversidade estimulada pelo seu uso. Conclui-se o estudo apontando que a dimensão econômica é o aspecto de maior motivação nos dois públicos estudados, por mais que o uso na alimentação esteja bastante presente, a concepção comum entre os dois públicos é de conservação da araucária e do butiá para continuar gerando renda. A dimensão cultural também se fez presente especialmente nos extrativistas de pinhão que possuem um conhecimento tradicional de longa data. A dimensão da organização social está mais evidente nos assentados. A dimensão da conservação fica mais evidente na medida em os recursos da natureza passam a ter maior valor econômico. Por fim, menciona-se que na atualidade se faz necessário um metabolismo sustentável com a natureza, de modo que se redesenhe sistemas de produção com base na Agroecologia e que incorporem as espécies da sociobiodiversidade.por
dc.contributor.advisor1Fialho, Marco Antônio Verardi
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4769329J4por
dc.contributor.referee1Piccin, Marcos Botton
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1966566635404223por
dc.contributor.referee2Wizniewsky, José Geraldo
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4721610Z6por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3530319796206013por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentAgronomiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Extensão Ruralpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIApor


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples