Show simple item record

dc.creatorWinck, Gisele Regina
dc.date.accessioned2009-03-11
dc.date.available2009-03-11
dc.date.issued2007-02-13
dc.identifier.citationWINCK, Gisele Regina. NATURAL HISTORY OF Tupinambis merianae (SQUAMATA, TEIIDAE) IN TAIM ECOLOGICAL STATION, SOUTHERN BRAZIL. 2007. 59 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/11174
dc.description.abstractThe genera Tupinambis comprises the largest lizards of America, which could reach 500 mm of corporal length. Two species possess wide distribution in South America (T. teguixin and T. merianae), while the others are restricted the specific biome (Amazonian Forest, Savannah and Chaco). The species T. merianae have the widest distribution of the gender, from the south of the Amazonian Forest to the north of Patagonia, at the east of Andes. In the present study, 640 h of sampling were accomplished (320 h of observations in the area to analyses of behavior; 320 h of observation along transects), in the total of 64 days. In the summer, there were no registrations of active lizards before 7:37 in the morning, nor after 17:43 of the afternoon. The use of community hibernacula was registered for the winter dormancy, being the burrows dug in cemented constructions used more frequently in the observation area. As for the seasonal activity, the first individuals emerged in August and the last ones returned to the dormancy in April. The emergency of the population demonstrated to be protandric, with adults emerging before juvenile. In the period after emergency, the males were basking in aggregations of up to 13 individuals, which changed of positions through audible resonant signs. Besides, sibilated sounds can be emitted in stress situations or agonistic interactions. There was significant difference of activity among the different certain periods in this study, along the months (F = 16.6; p <0.01), being October and December the months with registration of the individuals' larger activity. There was fluctuation in the population size and in the activity of the different age classes along the months. The minimum home range for three males and two females (variation from 0.05 to 20.29) were registered. The area of use of the animals did not differ along the months, but it was possible to observe gregarious behavior during the nine months of study.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectSquamatapor
dc.subjectTupinambispor
dc.subjectAtividadepor
dc.subjectÁrea de vidapor
dc.subjectSul do Brasilpor
dc.subjectSquamataeng
dc.subjectTupinambiseng
dc.subjectActivityeng
dc.subjectHome-rangeeng
dc.subjectSouthern Brazileng
dc.titleHISTÓRIA NATURAL DE Tupinambis merianae (SQUAMATA, TEIIDAE) NA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DO TAIM, EXTREMO SUL DO BRASILpor
dc.title.alternativeNATURAL HISTORY OF Tupinambis merianae (SQUAMATA, TEIIDAE) IN TAIM ECOLOGICAL STATION, SOUTHERN BRAZILeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoNo gênero Tupinambis estão representados os maiores sáurios das Américas, podendo atingir 500 mm de comprimento corporal. Duas espécies possuem ampla distribuição na América do Sul (T. teguixin e T. merianae), enquanto as demais são restritas a biomas específicos (Floresta Amazônica, Cerrado e Chaco). A espécie T. merianae possui a distribuição mais ampla do gênero, ocorrendo do sul da Amazônia ao norte da Patagônia, ao leste dos Andes. No presente estudo foram realizadas 640 h de amostragem (320 h de observações na área de análises de atos comportamentais; 320 h de observação ao longo de transectos), no total de 64 dias. No verão, não houve registros de lagartos ativos antes das 7:37 da manhã, nem após 17:43 da tarde. Foi registrada a utilização de hibernáculos comunitários para a dormência de inverno, sendo as tocas escavadas em artefatos de concreto, utilizadas com maior freqüência na área de observação. Quanto à atividade sazonal, os primeiros indivíduos emergiram em agosto e os últimos retornaram à dormência em abril. A emergência da população demonstrou ser protândrica, com adultos emergindo antes dos juvenis. No período pósemergência, os machos termorregularam em agregações de até 13 indivíduos, os quais trocavam de posições através de sinais sonoros audíveis. Além disso, sons sibilares podem ser emitidos em situações de stress ou interações agonísticas. Houve diferença significativa de atividade entre os diferentes períodos determinados neste estudo, ao longo dos meses (F = 16.6; p < 0.01), sendo outubro e dezembro os meses com registro de maior atividade dos indivíduos. Foi registrada flutuação no tamanho populacional e na atividade das diferentes classes etárias ao longo dos meses. A área mínima de vida para três machos e duas fêmeas (variação de 0.05 a 20.29) é apresentada. A área de utilização dos animais não diferiu ao longo dos meses e foi possível observar comportamento gregário durante os nove meses de estudo.por
dc.contributor.advisor1Cechin, Sonia Terezinha Zanini
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4782165H6por
dc.contributor.referee1Colli, Guarino Rinaldi
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783128P7por
dc.contributor.referee2Cappellari, Lize Helena
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4799300T6por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4770980J4por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentBioquímicapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica Toxicológicapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOQUIMICApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.