Show simple item record

dc.creatorBaggio, Priscilla Maia
dc.date.accessioned2018-06-08T18:55:00Z
dc.date.available2018-06-08T18:55:00Z
dc.date.issued2014-02-28
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/13331
dc.description.abstractThe wood over time passes through a process natural what that gradually losing their (mechanical, physical or chemical) properties in a gradual state of decay. This fact is compounded by the action of wood-destroying organisms that under favorable weather conditions such as rain, wind, damage with the quality of the wood. The present study aimed to evaluate the natural durability of wood Tetrorchidium rubrivenium Poeppig & Endlicher (Canemaçu) under the action of deteriorative organisms in field tests and laboratory analyzing two regions of wood, peripheral region and central region. The wood used for this work were obtained from five trees Canemaçu. We analyzed the apparent specific gravity for the two regions studied wood. For the laboratory test was followed to ASTM D 2017 (ASTM , 2005) with modification in the specimens to 2.0 x 2.0 x 0.9 cm , which were sawn parts of the peripheral region and the central region of same samples prepared for testing field with dimensions of 2.0 x 2.0 x 30 . Were analyzed for laboratory testing and field: mass loss and colorimetry and the field test: index behavior, static bending (MOR and MOE) and solubility in sodium hydroxide. For mass density at 12% moisture was obtained for peripheral region 0.483 g / cm ³ and central 0.424 g / cm ³ , which statistically significantly. The loss of mass in the laboratory test for brown rot was similar in the two regions with an average of 33 %, while for white rot results are different, with the peripheral region 23.35% and 36.57 % central region. The colorimetric parameters L *, a * and b * were significantly different depending on the fungal attack of brown rot and white rot in laboratory test values. In field trial samples installed in the open field showed a trend towards higher mass losses for samples of the forest. The deterioration index was reduced with the passage of time of exposure to the environment. The MOE and MOR were being reduced over time, but with periods of oscillation. The values obtained in solubility in 1% sodium hydroxide solution been declining with increasing time of exposure in the field. All wood samples exposed to natural weathering demonstrated a reduction in the b * parameter, causing the browning of the samples. Comparing the results obtained in laboratory tests and field for both regions analyzed the wood, it is concluded that both conditions do not have to be exposed in contact with the ground.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectOrganismos xilófagospor
dc.subjectDeterioraçãopor
dc.subjectColorimetriapor
dc.subjectWood-destroying organismseng
dc.subjectDeteriorationeng
dc.subjectColorimetryeng
dc.titleDurabilidade natural da madeira de Tetrorchidium rubrivenium em ensaios de campo e de laboratóriopor
dc.title.alternativeNatural durability of wood Tetrorchidium rubrivenium tested in field and laboratoryeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA madeira passa ao longo do tempo por um processo em que acontece aos poucos a perda de suas propriedades (mecânicas, físicas ou químicas) em um gradativo estado de apodrecimento. Este fato é potencializado pela ação de organismos xilófagos que em condições favoráveis de intempéries, como chuvas, ventos, entre outros corrompem com a qualidade da madeira. A presente pesquisa teve por objetivo avaliar a durabilidade natural da madeira de Tetrorchidium rubrivenium Poeppig & Endlicher (Canemaçu) sob a ação de organismos biodeterioradores, em ensaios de campo e de laboratório, analisando duas regiões da madeira, região próxima a casca e região próxima a medula. A madeira utilizada para a realização deste trabalho foi obtida de cinco árvores de Canemaçu. Foi analisada a massa especifica aparente para as duas regiões da madeira estudadas. Para o ensaio em laboratório foi seguido à norma ASTM D 2017 (ASTM, 2005) com modificação nos corpos de prova para 2,0 x 2,0 x 0,9 cm, onde foram serrados de peças da região próxima a casca e da região próximo a medula das mesmas amostras confeccionadas para ensaio de campo com dimensões de 2,0 x 2,0 x 30 cm. Foram analisados para ensaios de laboratório e campo: perda de massa e colorimetria, e para o ensaio de campo: indicie de comportamento, flexão estática (MOE e MOR) e solubilidade em hidróxido de sódio. Para a massa específica aparente a 12% de umidade obteve-se para região próxima a casca 0,483g/cm³ e região próxima a medula 0,424g/cm³, onde apresentou diferença estatística. A perda de massa sofrida em ensaio de laboratório para a podridão parda foi parecida nas duas regiões com uma média de 33%, já para podridão branca os resultados foram distintos, com na região próxima a casca 23,35 % e região próximo a medula 36,57%. Os parâmetros colorimétricos L*, a* e b* apresentaram valores significativamente distintos em função do ataque dos fungos de podridão parda e podridão branca em ensaio de laboratório. Em ensaio de campo as amostras instaladas no campo aberto apresentaram a tendência de maiores perdas de massa em relação às amostras da floresta. O Índice de deterioração foi reduzindo-se com o decorrer do tempo de exposição ao ambiente. O MOE e o MOR foram sendo reduzidos com o passar do tempo, porém com períodos de oscilação. Para os valores obtidos na solubilidade em hidróxido de sódio 1% observou-se que foram decaindo conforme aumenta o tempo em exposição a campo de apodrecimento. Todas as amostras de madeira expostas ao desgaste natural demostraram uma redução do parâmetro b*, ocasionando o escurecimento das amostras. Comparando-se os resultados obtidos nos testes de laboratório e de campo para ambas as regiões da madeira analisadas, conclui-se que ambas não apresentam condições de serem expostas em contato com o solo.por
dc.contributor.advisor1Santini, Elio José
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1939844237237675por
dc.contributor.referee1Gatto, Darci Alberto
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0592339091520248por
dc.contributor.referee2Rosso, Silviana
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/1109211725706666por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7571922324451554por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.departmentRecursos Florestais e Engenharia Florestalpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTALpor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Ruraispor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.