Show simple item record

dc.creatorAmaral, Gilneia Mello do
dc.date.accessioned2018-07-04T17:31:09Z
dc.date.available2018-07-04T17:31:09Z
dc.date.issued2017-05-15
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/13659
dc.description.abstractRiparian forest is the vegetation adjacent to a body of water, which expands from slopes for large extensions. It is imperative that these areas are preserved and in many cases, is necessary its recovery. To evaluate the efficiency of recovery techniques and to verify if restoration is occurring is necessary to monitor these areas. In this context, the aim of this study is to evaluate the recovery evolution of a fragment of riparian forest in Santa Lagoão do Ouro, Santa Maria – RS. The study was conducted in 4 areas with 300 m2 each, divided in 4 plots per treatment. The treatments tested were: area in recovery process (AR), where was implanted a nucleation technique through planting native species in 2009; naturally regeneration process area (ARN), isolated since 2009 to evaluate natural revegetation; area with Pinus sp (AP); and area with native vegetation (MN). Emphasizing that the techniques used in AR and ARN are part of a study implanted in 2009 by Ceconi (2010), this work is part of the continuity of evaluation of the restoration process. To evaluate plants introduced in AR in 2009 was measured height (m), neck diameter (cm), diameter at chest height (DAP), crown diameter and death percentage of species. Species that presented a fast growth and large crown diameter were classified as group of Fill, the others as group of Diversity. Also, in the treatments AR and ARN was performed an evaluation of coverage by grasses, number of regenerating individuals and Shannon index (H’). It was evaluated in all treatments the composition of field residues, soil quality and enzyme activity of urease, β-glucosidase, acid phosphatase and hydrolysis of diacetate of fluorescein (FDA). The results were submitted to variance analysis at the level of 5% of error. The species planted on AR classified as Fill presented a height, neck diameter, DAP and crown diameter higher than the species of the Diversity group, being them: Ateleia glazioveana, Schinus terebinthifolius, Enterolobium contortisiliquum, Pelthophorum dubium, Casearia sylvestris, Luehea divaricata and Parapiptadenia rígida. The mortality rate in AR was 49,47%, being extinguished 5 species: Apuleia leiocarpa, Cabralea canjerana, Cedrela fissilis, Cupania vernalis and Diospyrus inconstans. The treatment ARN presented a higher percentage of grasses when compared with AR. The natural regeneration in AR was influenced by native species planted, while ARN presented higher amounts of invasive species. The Shannon index showed a higher diversity of species in AR when compared with ARN. The species planted in AR and classified as species of fill presented a higher height, higher neck diameter, higher diameter at chest height and higher crown diameter in comparison with the species located in the diversity group, however the mortality was lower. The treatment AP presented higher amounts of field residues, which was influenced by the large amount of needles, being in sequence the treatments AR, MN and ARN. In relation with the soil chemical analysis, organic matter increased in both areas with recovery process when compared with the levels of 2009. The value of OM in AR was close to MN and did not differ statistically. The ARN presented a lower value of OM, but still superior then AP. Thus, even though the plants used in AR have been growing slowly and with a high mortality rate until this moment, the nucleation technique used in AR is more adequate to recovery the area than the isolation process used in ARN. It occurred because of the low regeneration potential of the natural riparian forest and also the competition with grasses. From the species used in nucleation, is recommended in similar situations in the area the use of species classified as Fill, mainly due to its fast growth and ability of survive and establishment. The activity of FDA was higher at AR, being superior of MN, which did not presented statistical differences in comparison with ARN. Also, AP presented the lowest activity of FDA. The β-glucosidase values were different in all treatments tested, where MN presented the higher activity, followed by AR, ARN and AP. The phosphatase was statistically higher in MN, while in AR and ARN it was not found differences and AP presented a lower value. The urease did not presented statistical differences among treatments. Thus, the analysis of hydrolysis of diacetate of fluorescein, β-glucosidase and phosphatase were efficient to characterize the soil activity in areas with restoration process.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectEcossistema ciliarpor
dc.subjectMonitoramentopor
dc.subjectRegeneração naturalpor
dc.subjectNucleaçãopor
dc.subjectAtividade enzimáticapor
dc.subjectRiparian foresteng
dc.subjectMonitoringeng
dc.subjectNatural regenerationeng
dc.subjectNucleationeng
dc.subjectEnzyme activityeng
dc.titleAvaliação do processo de restauração de um fragmento de mata ciliar na região de Santa Maria-RSpor
dc.title.alternativeEvaluation of restoration process in a fragment of a riparian forest in the region of Santa Maria-RSeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA mata ciliar é a vegetação presente no entorno dos corpos d’água e se prolongam por grandes extensões, a partir das margens. Essas áreas devem ser preservadas e em muitos casos é necessária a sua recuperação. Para avaliar a eficiência das técnicas de recuperação e verificar se está ocorrendo a restauração desses sistemas é necessário o monitoramento desses ambientes. Neste contexto, o estudo tem como objetivo avaliar a evolução da restauração em um fragmento da mata ciliar na Sanga Lagoão do Ouro, Santa Maria – RS. O estudo foi realizado em quatro áreas de 300 m2 cada, cada uma delas dividida em 4 subparcelas. As áreas avaliadas foram: área em processo de recuperação (AR), onde houve a implantação da técnica de nucleação por meio do plantio de espécies nativas em 2009; área em processo de regeneração natural (ARN), local que está isolado desde 2009 para avaliação da regeneração natural, área com povoamento de Pinus sp (AP) e área de vegetação nativa (MN). As técnicas utilizadas nas áreas AR e ARN fazem parte de um estudo implantado em 2009 por Ceconi (2010) e este trabalho faz parte da continuidade da avaliação do processo de restauração. Sendo assim, para avaliar as mudas que foram plantadas em 2009 na área AR mediu-se a altura (m), diâmetro do colo (cm), diâmetro à altura do peito (DAP), área da copa e a porcentagem da mortalidade das espécies. As espécies que apresentaram um rápido crescimento e uma boa cobertura de copa foram classificadas no grupo de Preenchimento, as demais foram classificadas no grupo de Diversidade. Com relação a avaliação da coberta com gramíneas; quantificação dos indivíduos regenerantes e o índice de Shannon (H’) foram realizados nas áreas AR e ARN. A avaliação da composição da serapilheira, caracterização química do solo e a atividade enzimática das enzimas urease, -glucosidase, fosfatase ácida e hidrólise do diacetato de fluoresceína (FDA) no solo foram realizadas nas quatro áreas. Os resultados foram submetidos à análise de variância a 5% de probabilidade de erro. As espécies plantadas na área AR classificadas como de Preenchimento apresentaram uma altura, diâmetro do colo, DAP e uma área de copa maior que as espécies que estão no grupo de Diversidade, sendo elas: Ateleia glazioveana, Schinus terebinthifolius, Enterolobium contortisiliquum, Pelthophorum dubium, Casearia sylvestris, Luehea divaricata e Parapiptadenia rígida. A mortalidade na área AR foi de 49,47%, extinguindo-se cinco espécies, sendo estas: Apuleia leiocarpa, Cabralea canjerana, Cedrela fissilis, Cupania vernalis e Diospyrus inconstans. A área ARN apresentou a maior porcentagem de gramíneas, quando comparada com a área AR. A regeneração natural da área AR sofreu influência das espécies nativas plantadas, enquanto a área ARN apresentou maior quantidade de espécies invasoras. O índice de Shannon mostrou uma maior diversidade de espécies na área AR que na área ARN. A área AP apresentou maior quantidade de serapilheira, resultado influenciado pela grande quantidade de acículas, seguida das áreas AR, MN e ARN. Com relação a análise química, houve um aumento da matéria orgânica (MO) do solo nas duas áreas em recuperação em relação aos teores encontrados antes da implantação das mudas em 2009. O teor de MO na área AR ficou próximo do valor da MN, sem diferir estatisticamente, ao passo que a área ARN apresentou um valor menor de MO, porém superior ao valor da área AP. Deste modo, apesar das plantas utilizadas na área AR, estarem se desenvolvendo de forma lenta e com um alto índice de mortalidade, até este momento, a técnica de nucleação utilizada na área AR é mais adequada para recuperar o local, do que o isolamento da área que foi realizado na área ARN. Isto ocorreu devido ao baixo potencial de regeneração natural da mata ciliar e a competição com as gramíneas. A partir das espécies usadas na nucleação, recomenda-se, em situações semelhantes de degradação e para a mesma região, o uso das espécies classificadas como de Preenchimento, pelo seu crescimento mais rápido e capacidade de sobreviver e se estabelecer. Com relação a atividade enzimática de FDA, os maiores valores foram encontrados na área AR, ficando superior a área MN, que não diferiu estatisticamente da área ARN, sendo que a área AP apresentou a menor atividade de FDA. A -glucosidase foi diferente estatisticamente em todas as áreas, sendo na área MN registrada a maior atividade, seguida das áreas AR, ARN e AP. A fosfatase foi estatisticamente maior para área MN, enquanto que as áreas AR e ARN não apresentaram diferença estatística e a área AP apresentou o menor valor. A urease não registrou diferença estatísticas entre as áreas. Assim sendo constatado que a análise da hidrólise do diacetato de fluoresceína, β-glicosidase, fosfatase foram eficientes na caracterização da atividade do solo de áreas em processo de restauração.por
dc.contributor.advisor1Silveira, Andressa de Oliveira
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1829365955344819por
dc.contributor.referee1Marcuzzo, Suzane Bevilacqua
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6845109321284193por
dc.contributor.referee2Silva, Danni Maisa da
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2971607375965625por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9718521444290819por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.departmentEngenharia Ambientalpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Ambientalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIASpor
dc.publisher.unidadeCentro de Tecnologiapor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.