Show simple item record

dc.creatorAmaral, Bruna Portolan
dc.date.accessioned2019-07-16T17:58:34Z
dc.date.available2019-07-16T17:58:34Z
dc.date.issued2016-02-19
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/17466
dc.description.abstractRenal diseases are important in human and veterinary patients and may have different causes, such as infections, toxic agents and renal ischemia. The present work aimed to evaluate the potential of two nonsteroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs), meloxicam and ketoprofen, to cause kidney injury and the ability to early detect renal changes by laboratory methods. 30 healthy bitches were divided into three groups and underwent ovariohysterectomy. The groups were treated as follows: meloxicam (group 1, GM), ketoprofen (group 2, GK), and tramadol monohydrate (group 3, GT). Blood and urine samples were collected from each animal before (M0), 24, 48 and 72 hours after surgery. Blood samples were used for complete blood count (CBC) and serum determination of blood ureic nitrogen (BUN) and creatinine concentration. The clinical evolution was also assessed. Urine analysis and ureic nitrogen, creatinine and protein concentrations were also biochemically determined in urine samples. Protein/Creatinine ratios (PCR) and fractionated excretion of creatinine were calculated. No difference was observed in regard to clinical outcome, water or food intake, diuresis and wound healing between the groups. Considering serum creatinine and BUN, there was an increase in all post-operative moments in GK and a decrease in urinary ureic nitrogen and creatinine, indicating a reduction in glomerular filtration rate (GFR). The results of protein excretion showed an increase of 207% in PCR in GM. This increase was seen only in GM and at 24 hours and remained increased until 72 hours. Increased PCR can be related to an increased permeability of the glomerular membrane leading to proteinuria in this group. However, the values observed are defined as borderline when evaluating proteinuria. The obtained results demonstrate that ketoprofen and meloxicam administered to animals submitted to surgery can change GFR and protein renal excretion, respectively and should be avoided in animals with risk of developing renal diseases. Serial evaluation of serum and urinary levels of ureic nitrogen and creatinine, as well as the PCR were effective in detecting alterations in renal function. The similar clinical outcome between the groups suggests that after surgeries with low complexity and minor tissue manipulation, only analgesia may be sufficient, and is indicated in order to avoid further kidney dysfunction.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectLesão renalpor
dc.subjectMeloxicampor
dc.subjectCetoprofenopor
dc.subjectTestes de função renalpor
dc.subjectRenal injuryeng
dc.subjectKetoprofeneng
dc.subjectRenal function testseng
dc.titleEfeitos da terapia anti-inflamatória não esteroidal sobre a função renal durante o pós-cirúrgico de caninos submetidos à ovario-histerectomia eletivapor
dc.title.alternativeEffects of nonsteroidal anti-inflammatory therapy on renal function during the post-operatory period in dogs submitted to elective ovariohysterectomyeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoAs doenças renais podem ser desencadeadas por várias causas, entre elas, agentes infecciosos, substâncias tóxicas e por isquemia renal. O presente trabalho objetivou avaliar o potencial lesivo dos anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs) meloxicam e cetoprofeno aos rins e verificar a precocidade de detecção destas alterações com testes de função renal em animais submetidos à terapia anti-inflamatória após ovariohisterectomias eletivas. Foram utilizadas 30 cadelas, divididas em três grupos e submetidas à ovariohisterectomia e diferentes protocolos analgésicos e anti-inflamatórios. Os animais do primeiro grupo (GM) receberam meloxicam, os do segundo grupo (GC) receberam cetoprofeno e os animais do terceiro grupo (GT) receberam cloridrato de tramadol. De cada paciente foram realizadas colheitas de urina e sangue nos seguintes momentos: pré-operatório, 24, 48 e 72 horas pós-operatório. As amostras de sangue foram utilizadas para a realização de hemograma completo, determinação bioquímica de ureia e creatinina. Os animais foram avaliados quanto à evolução clínica. Foi realizada urinálise e a determinação bioquímica da concentração proteína, ureia e creatinina urinários. Foram ainda calculadas a relação proteína urinária/creatinina urinária e a excreção fracionada de creatinina. Não foi observada diferença em relação à evolução clínica entre os grupos, ingestão hídrica e de alimentos, diurese e cicatrização das feridas. Com relação aos valores séricos de ureia e creatinina, no GC observou-se elevação nos três momentos pós-cirúrgicos e decréscimo dos valores observados na urina, indicando redução na taxa de filtração glomerular nesses animais. Na avaliação da relação proteína urinária/creatinina urinária foi observada diferença apenas no GM, onde foi evidenciado um aumento de 207% da excreção proteica do período pré-operatório em relação à mensuração das 24 horas pós-operatório, mantendo-se elevada ao longo das 72 horas de avaliação, indicando aumento da permeabilidade de membrana e consequente proteinúria neste grupo. Os valores observados, entretanto, são considerados marginais na avaliação de proteinúria renal. Os resultados obtidos demonstram que a utilização de cetoprofeno e meloxicam em animais submetidos a eventos cirúrgicos alteram a taxa de filtração glomerular e a excreção proteica, respectivamente e devem ser evitados em animais com risco de desenvolver lesões renais. A avaliação seriada dos níveis séricos e urinários de creatinina e ureia, assim como a relação proteína urinária/creatinina urinária foram métodos efetivos na detecção de alterações da função renal. A evolução clínica semelhante entre os grupos sugere que apenas a terapia analgésica durante o pós-cirúrgico é suficiente em procedimentos em que não haja grande manipulação de tecidos e, dessa forma, menor inflamação, sendo indicada por não induzir alterações na função renal.por
dc.contributor.advisor1Krause, Alexandre
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7760558908777387por
dc.contributor.referee1Masuda, Eduardo Kenji
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8396003665895028por
dc.contributor.referee2Fighera, Rafael Almeida
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/6223365736139655por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5119613885179185por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.departmentMedicina Veterináriapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Medicina Veterináriapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIApor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Ruraispor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.