Show simple item record

dc.contributor.advisorMangini, Fernanda Nunes da Rosa
dc.creatorSilva, Lucas Leismann da
dc.date.accessioned2020-07-14T13:09:12Z
dc.date.available2020-07-14T13:09:12Z
dc.date.issued2019-12-11
dc.date.submitted2019
dc.identifier.citationSILVA, L. L. Serviço social e saúde mental: o trabalho do assistente social com famílias no campo da medicalização da vida. 2019. 73 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2019.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/19913
dc.descriptionTrabalho de conclusão de curso (graduação) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Curso de Bacharelado em Serviço Social, RS, 2019.por
dc.description.abstractHis work arises from experiences in the curricular internship in social work conducted at the Psychosocial Support Center - Alcohol and Other Drugs (CAPSAD). This is a qualitative, exploratory research with a theoretical and bibliographic nature. The objective of the research is to analyze the possibilities of professional performance with families in mental health, in relation to medicalization. This study addresses the medicalization of life and its relationship with the expressions of the social issue, how this phenomenon developed over time. The pharmaceutical industry was structured from the 1950s began a process of dissemination of drug commodity, especially psychotropic drugs, the trivialization of these drugs and abuse are the main materializations of life medication in contemporary times. The family that currently has centrality in social policies is challenged by this phenomenon, along with the transformation processes that it has undergone throughout history. Neoliberalism impacts families and sharpens the expressions of the social issue with the resurgence of social policies. The work of the social worker with families has returned to the center of the profession's debate, due to the process of changes in the family and social policies. From this we explore the possibilities of professional performance with families from the application of the Guide for Autonomous Medication Management with family members to discuss the use of medicines and the possibilities of emancipation and effectiveness of citizenship.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectServiço socialpor
dc.subjectFamíliapor
dc.subjectMedicalização da vidapor
dc.subjectSaúde mentalpor
dc.subjectSocial serviceeng
dc.subjectFamilyeng
dc.subjectMedication of lifeeng
dc.subjectMental healtheng
dc.titleServiço social e saúde mental: o trabalho do assistente social com famílias no campo da medicalização da vidapor
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Graduaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasil.por
dc.degree.graduationServiço Socialpor
dc.description.resumoEste trabalho surge das experiências no estágio curricular em serviço social realizado no Centro de Apoio Psicossocial - Álcool e outras Drogas (CAPS-AD). Essa é uma pesquisa qualitativa, exploratória de cunho teórico-bibliográfico. O objetivo da pesquisa é analisar as possibilidades de atuação profissional com famílias na saúde mental, em relação à medicalização. Nesse estudo é abordada a medicalização da vida e sua relação com as expressões da questão social, como se desenvolveu esse fenômeno ao longo do tempo. A indústria farmacêutica se estruturou a partir dos anos 1950 começou um processo de disseminação da mercadoria medicamento, em especial os psicofármacos, a banalização desses medicamentos e o uso abusivo são as principais materializações da medicação da vida na contemporaneidade. A família que atualmente tem centralidade nas políticas sociais é interpelada por esse fenômeno, junto com os processos de transformação que ela passou ao longo da história. O neoliberalismo impacta nas famílias e agudiza as expressões da questão social com o recrudescimento das políticas sociais. O trabalho do assistente social com famílias voltou ao centro do debate da profissão, por conta do processo de transformações na família e nas políticas sociais. A partir disso se explora as possibilidades de atuação profissional com as famílias a partir da aplicação do Guia de Gestão Autônoma da Medicação com familiares para discutir o uso de medicamentos e as possibilidades de emancipação e efetividade da cidadania.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIALpor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Sociais e Humanaspor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.