Show simple item record

dc.creatorDuarte, Giovana
dc.date.accessioned2022-06-07T13:07:12Z
dc.date.available2022-06-07T13:07:12Z
dc.date.issued2022-03-14
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/24641
dc.description.abstractThe city of Quevedos locates in the interior of Rio Grande do Sul State. Since the 20th century, it has been experiencing the impacts caused by interventions in the available natural resources in favor of large companies. Recently, four small power plants have been installed. So, they have triggered significant changes in the occupational structure of the place, from the incidence of more than 500 direct jobs and others outsourced. Such a context emerged with many workers from different geographies, from the northeast to the south of Brazil. At the same time, there was also a growing concentration of prostitution spaces. Thus, women started peripheral jobs and services and were socially and morally devalued. Therefore, the study analyzes the female workers' conditions in the complex of hydroelectric plants, in the city of Quevedos (RS), between 2018 to 2021, from the work and class experiences to understand the formation of a gender territory between the spaces of hydroelectric plants and prostitution. Then, it was possible to use qualitative research articulated with a triangulation of data from different sources such as the narrative interview technique, resources of life and oral histories, and documentary research for the women's world of work densification. The research indicates that gender territory alludes to common class experiences among women who work in the mills' internal jobs and prostitution. The conditions and relations of precarious work refer to long working hours, variable wages, forms of control, repression and overexploitation, expressive in the daily life of the sphere of production imposed harms to their well-being and coexisted with the need for geographically mobile workers. Both are deprived of stability and security, living on the fringes of risk and social vulnerability. However, they use sociability in their toil for nurturing and resistance strategies to keep themselves in occupations. In addition, they experience harsh gender oppression in the workplace. The territory is constituted by an objective and subjective point of view. The practical and symbolic dimensions denote the precariousness experienced in women's lives due to the impact of flexible working conditions and systematic inequalities of gender and race.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectTerritório de gêneropor
dc.subjectTrabalhopor
dc.subjectFlexibilidadepor
dc.subjectPrecariedadepor
dc.subjectGender territoryeng
dc.subjectWorkeng
dc.subjectFlexibilityeng
dc.subjectPrecariousnesseng
dc.titleTerritório de gênero: da flexibilidade à precariedade do trabalho feminino no complexo de usinas hidrelétricas na cidade de Quevedos – Rio Grande do Sulpor
dc.title.alternativeGender territory: from flexibility to precarity of female work in the complex of hydroelectric plants in the city of Quevedos - Rio Grande do Sul stateeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA cidade de Quevedos, localizada no interior do estado do Rio Grande do Sul, experimenta, desde o século XX, impactos acarretados pelas intervenções nos recursos naturais disponíveis, em prol de grandes empresas. Recentemente, houve a instalação de quatro pequenas centrais de empreendimentos energéticos, que desencadearam alterações significativas na estrutura ocupacional do local, a partir da incidência de mais de 500 postos de trabalhos diretos e outros, externalizados. Tal contexto propiciou um fluxo de trabalhadores e de trabalhadoras de geografias distintas, das regiões do Nordeste e Sul do país. Neste mesmo sentido, também ocorreu a crescente emergência de espaços prostitucionais. As mulheres, neste contexto, inseriram-se em empregos e em serviços periféricos e desvalorizados socialmente e moralmente. Diante disso, o objetivo deste estudo foi de analisar em que medida as transformações laborais associadas ao complexo de usinas hidrelétricas na cidade de Quevedos (RS), durante o período de 2018 a 2021, tem resultado em precariedade no trabalho feminino, bem como produzido um determinado território de gênero, associado as experiências comuns entre os espaços das usinas hidrelétricas e a prostituição local. Para isso, utilizou-se de uma pesquisa qualitativa, articulada a uma triangulação de dados, a partir de distintas fontes, como a técnica de entrevista narrativa, junto aos recursos da história de vida e da história oral, e uma pesquisa documental, para o adensamento dos dados sobre o mundo do trabalho feminino. A pesquisa indica que o território de gênero alude a experiências de classe comuns entre as mulheres que atuam nos empregos internos das usinas, assim como as inseridas na prostituição. As condições e as relações de precariedade laboral, referentes às altas jornadas, aos salários variáveis, às formas de controle, de repressão e de superexploração — expressivas no cotidiano da esfera de produção — impõem malefícios ao bem-estar das trabalhadoras, os quais coexistem com a necessidade delas estarem geograficamente móveis. Ambas as mulheres estão desprovidas de estabilidade e de segurança e vivem à margem do risco e da vulnerabilidade social, no entanto se utilizam da sociabilidade na labuta, para o acalento e para a elaboração de estratégias de resistências para se manterem nas ocupações. Além disso, vivenciam duras opressões de gênero nos espaços de trabalho. O território em questão se constitui dos pontos de vista objetivo e subjetivo, cujas dimensões práticas e simbólicas denotam a precariedade atravessada na vida, como um todo, destas mulheres, em decorrência do impacto das condições do trabalho flexível e das desigualdades sistemáticas de gênero e raça.por
dc.contributor.advisor1Ferreira, Laura Senna
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5082040171132147por
dc.contributor.referee1Sandalowski, Mari Cleise
dc.contributor.referee2Bridi, Maria Aparecida da Cruz
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9800460430512705por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.departmentSociologiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Sociaispor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIApor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Sociais e Humanaspor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 6.3 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.