Show simple item record

dc.creatorSchüller, Tariana Lissak
dc.date.accessioned2023-02-14T11:17:44Z
dc.date.available2023-02-14T11:17:44Z
dc.date.issued2023-01-06
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/27792
dc.description.abstractIt is estimated that at least two thirds of all known pesticides are used in agriculture, bringing benefits to rural producers such as increased productivity, quality and reduction of pests. However, despite having important functions in agricultural production, their intense use can affect soil and water quality, causing ecological and human health risks, especially in the rural production environment. With this concern, the present study aims to evaluate the risk to human health of rural workers caused by the use of pesticides in 25 municipalities in the Northwest of Rio Grande do Sul. The evaluation was carried out using the methodology of “Assessment of risks to human health for the purpose of managing contaminated areas”, indicated by ABNT NBR 16.209. The Chemical Substances of Interest (SQI) used were glyphosate, paraquat dichloride, atrazine, mancozeb, 2,4-D and acephate. Surface soil was considered as the physical means of rural exposure and the exposure routes analyzed were dermal contact, ingestion and inhalation. Two exposure scenarios were considered, one with a single application of SQI to the soil and the other with repeated applications. Of the six pesticides mentioned, only atrazine is considered carcinogenic, as it has a carcinogenicity factor (SF) allowing the calculation of the carcinogenic risk. The other substances are classified as non-carcinogenic, having a reference dose (RfD). As it is the only carcinogen, atrazine can be considered the most toxic SQI among those analyzed. However, no carcinogenic risk was found by dermal contact or ingestion in either of the two scenarios related to the application of atrazine. Also, no noncarcinogenic risk was found by dermal contact or ingestion in any of the scenarios. Regarding the exposure route of soil particle inhalation, a carcinogenic risk was found for atrazine in all municipalities in the two analyzed scenarios. In the single application of non-carcinogenic substances, a health risk related to paraquat dichloride was found in all municipalities, except Cristal do Sul. Acephate poses a risk in case of inhalation of soil particles, in the single application scenario, in 72% of the municipalities. Considering non-carcinogenic substances and the multiple application scenario, a risk of inhalation by the SQI of paraquat dichloride was found in 16% of the municipalities. A non-carcinogenic risk was also found in the case of inhalation of particles with acephate, in the scenario of multiple application, in 44% of the municipalities. Considering the total risk, the municipality of Tiradentes do Sul had the highest total non-carcinogenic risk in the first exposure scenario and Novo Tiradentes in the second scenario. Vista Gaúcha had the highest total carcinogenic risk. Comparing the results obtained in the two scenarios of exposure to chemical substances evaluated in this study, the second scenario presents the lowest risk of damage to human health, and all municipalities have noncarcinogenic and carcinogenic risk for human health.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectAgriculturapor
dc.subjectCarcinogenicidadepor
dc.subjectExposiçãopor
dc.subjectIngestãopor
dc.subjectAgricultureeng
dc.subjectExposureeng
dc.subjectIngestioneng
dc.subjectCarcinogenicityeng
dc.titleAvaliação de risco à saúde humana decorrente do uso de agrotóxicos em municípios do noroeste do Rio Grande do Sulpor
dc.title.alternativeEvaluation of the risk to human health from the use of agrochemicals in municipalities in the northwest of Rio Grande do Suleng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoÉ estimado que pelo menos dois terços do total dos agrotóxicos conhecidos sejam utilizados na agricultura, trazendo benefícios para o produtor rural como o aumento da produtividade, qualidade e diminuição das pragas. Porém, apesar de terem funções importantes na produção agrícola, a sua intensa utilização pode afetar a qualidade do solo e da água, ocasionando riscos ecológicos e à saúde humana, especialmente no ambiente de produção rural. Com essa preocupação, esse estudo tem por objetivo avaliar o risco à saúde humana do trabalhador rural, causado pela utilização de agrotóxicos em 25 municípios do Noroeste do Rio Grande do Sul. A avaliação foi realizada utilizando a metodologia de “Avaliação de riscos à saúde humana para fins de gerenciamento de áreas contaminadas”, indicada pela ABNT NBR 16.209. As substâncias ‘químicas de interesse utilizadas foram glifosato, dicloreto de paraquate, atrazina, mancozebe, 2,4-D e acefato. Foi considerado como meio físico de exposição rural o solo superficial e as vias de exposição analisadas foram contato dérmico, ingestão e inalação. Foram considerados dois cenários de exposição, sendo um com aplicação única da substância química de interesse no solo e outro com repetidas aplicações. Dos seis agrotóxicos citados apenas a atrazina é considerada carcinogênica, pois possui fator de carcinogenicidade possibilitando o cálculo do risco carcinogênico. As demais substâncias são classificadas como não carcinogênicas, possuindo dose de referência. Por ser a única carcinogênica, a atrazina pode ser considerada substância química de interesse mais tóxica dentre as analisadas. Entretanto, não foi encontrado risco carcinogênico por contato dérmico ou ingestão em nenhum dos dois cenários relacionados à aplicação de atrazina. Também não foi encontrado risco não carcinogênico por contato dérmico ou ingestão em nenhum dos cenários. Em relação à via de exposição de inalação de partículas de solo, foi encontrado risco carcinogênico para a atrazina em todos os municípios nos dois cenários analisados. Na aplicação única de substâncias não carcinogênicas foi encontrado risco à saúde relacionado ao dicloreto de paraquate em todos os municípios, exceto Cristal do Sul. O acefato oferece risco no caso de inalação de partículas de solo, no cenário de aplicação única, em 72,00% dos municípios. Considerando substâncias não carcinogênicas e cenário de aplicação múltipla, foi encontrado risco de inalação pela substância química de interesse do dicloreto de paraquate em 16,00% dos municípios. Também foi encontrado risco não carcinogênico no caso de inalação de partículas com acefato, no cenário de aplicação múltipla, em 44,00% dos municípios. Considerando o risco total, o município de Tiradentes do Sul teve o maior risco total não carcinogênico no primeiro cenário de exposição e Novo Tiradentes no segundo cenário. Vista Gaúcha teve o maior risco total carcinogênico. Comparando os resultados obtidos nos dois cenários de exposição às substâncias químicas avaliadas neste estudo, o segundo cenário apresenta o menor risco de danos à saúde humana, sendo que todos os municípios possuem risco não carcinogênico e carcinogênico para a saúde humana.por
dc.contributor.advisor1Mancuso, Malva Andrea
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2054912540890308por
dc.contributor.advisor-co1Rodrigues, Alexandre Couto
dc.contributor.referee1Brun, Thiarles
dc.contributor.referee2Borba, Willian Fernando de
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4262616793366948por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.departmentCiências Ambientaispor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambientalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::OUTROS::CIENCIASpor
dc.publisher.unidadeUFSM Frederico Westphalenpor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 6.3 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.