Show simple item record

dc.creatorSamoel, Gisele Vaz Aguirre
dc.date.accessioned2023-10-06T13:58:13Z
dc.date.available2023-10-06T13:58:13Z
dc.date.issued2023-09-18
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/30307
dc.description.abstractTrypanosomosis is an important disease for cattle production in which Trypanosoma vivax is considered the main species causing the disease in South America. This disease has characteristics of being chronic and debilitating, resulting in high economic losses that are complex to be estimated. The presence of antibodies in populations is often used for epidemiological studies and geographical distribution of this disease, because it reflects the presence of previous exposure of the animals to the protozoan. Currently, Rio Grande do Sul (RS) is considered a non-endemic region for T. vivax, and the species has already been described causing natural infections in cattle and horses in the central region of the state, but there are still no occurrence studies or epidemiological data on the parasitism of this species in cattle in the state. Therefore, the objective of this research was to detect the presence of antiTrypanosoma spp. antibodies in cattle herds in RS and to suggest which intermediate regions of the state can be considered risk areas for the transmission of T.vivax. For this, 691 samples of bovine serum from the serum bank of the Laboratório de Doenças Parasitárias – UFSM were analyzed, selected according to the effective number of cattle in RS, and grouped according to their intermediate region of origin. The RS is subdivided into 7 intermediate regions named: Uruguaiana, Santa Maria, Porto Alegre, Passo Fundo, Ijuí, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, e Pelotas; Antibody detection was performed using the Indirect Immunofluorescence Reaction (IFAT) technique, using trypomastigotes forms of T. vivax fixed on slides. The samples were tested at a 1:80 dilution and incubated for 50 minutes at 37oC in a humid and dark chamber; the secondary antibody (Anti- bovine IgG) was used at a dilution of 1:200, and incubated under the same conditions described. The overall seroprevalence of anti- Trypanosoma spp. in cattle it was 24.6% (170/ 691) in the analyzed samples. The detection rate ranged from 0% to 37% in the study regions, with a higher prevalence in the intermediate region of Ijuí (37.3%), Uruguaiana (30.7%) and Passo Fundo (28.9%), which were suggested as risk areas for bovine trypanosomosis due to the high seroprevalence detected. The lowest prevalences were observed in Pelotas (24.3%), Santa Cruz do Sul (23.0%), Porto Alegre (17.5%), Santa Maria (5.7%) and Caxias do Sul (0%). A total of 24 herds were analyzed, where at least one positive sample was detected in 21 herds (89.6%) and 3 herds had no positive sample (13.3%). In positive herds, the detection frequency rate ranged from 4.2% to 63.6%. This is the first serological study in Rio Grande do Sul to determine the infection status of Trypanosoma spp. in cattle, promoting information on the occurrence and distribution of bovine trypanosomosis in the state.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectTripanossomose bovinapor
dc.subjectRIFIpor
dc.subjectIgGpor
dc.subjectSoroprevalênciapor
dc.subjectBovine trypanossomosiseng
dc.subjectSeroprevalenceeng
dc.titleDetecção de anticorpos anti-Trypanosoma spp. em bovinos do Rio Grande do Sulpor
dc.title.alternativeDetection of anti-Trypanosoma spp. antibodies in cattle of Rio Grande do Suleng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA tripanossomose é uma importante doença para a produção de bovinos, no qual Trypanosoma vivax é a principal espécie causadora da doença na América do Sul. Essa enfermidade detém característica de ser crônica e debilitante, resultando em altos prejuízos econômicos que são complexos de serem estimados. A presença de anticorpos em rebanhos é frequentemente utilizada em estudos epidemiológicos e de distribuição geográfica desta doença, pois reflete a exposição prévia dos animais ao protozoário. Atualmente o Rio Grande do Sul (RS) é considerado uma região não-endêmica para T. vivax, e a espécie já foi descrita causando infecções naturais em bovinos e equinos da região central do estado, porém ainda não existem estudos de ocorrência ou dados epidemiológicos do parasitismo desta espécie em bovinos do estado. Em vista disso, o objetivo dessa pesquisa foi detectar a presença de anticorpos antiTrypanosoma spp. em rebanhos bovinos do RS e sugerir quais as regiões intermediárias do estado podem ser consideradas áreas de risco para a transmissão de T. vivax. Para isto, foram analisadas 691 amostras de soro bovino provenientes do banco de soros do Laboratório de Doenças Parasitárias – UFSM, selecionadas conforme o número efetivo de bovinos do RS, e agrupadas conforme sua região intermediária de origem. O RS é subdividido em 7 regiões intermediárias denominadas: Uruguaiana, Santa Maria, Porto Alegre, Passo Fundo, Ijuí, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, e Pelotas; A detecção de anticorpos foi realizada através da técnica de Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI), utilizando formas tripomastigotas de T. vivax fixadas em lâmina. As amostras foram testadas na diluição de 1:80 e incubadas a 50 minutos a 37oC em câmara úmida e escura; o anticorpo secundário (Anti-IgG bovino) foi utilizado na diluição de 1:200, e incubado nas mesmas condições descritas. A soroprevalência geral de anticorpos Anti-Trypanosoma spp. nos bovinos foi de 24,6% (170/691) nas amostras analisadas. A taxa de detecção variou de 0% a 37% nas regiões de estudo, com maior prevalência na região intermediária de Ijuí (37,3%), Uruguaiana (30,7%) e Passo Fundo (28,9%), as quais foram sugeridas como áreas de risco para a tripanossomose bovina devido à alta soroprevalência detectada. As menores prevalências foram observadas em Pelotas (24,3%), Santa Cruz do Sul (23,0%), Porto Alegre (17,5%), Santa Maria (5,7%) e Caxias do Sul (0%). Um total de 24 rebanhos foram analisados, onde pelo menos uma amostra positiva foi detectada em 21 rebanhos (89,6%) e 3 rebanhos não apresentavam nenhuma amostra positiva (13,3%). Nos rebanhos positivos, a taxa de frequência de detecção variou de 4,2 a 63,6%. Esse é o primeiro estudo sorológico no Rio Grande do Sul a determinar o status de infecção por Trypanosoma spp. em bovinos, promovendo informações sobre a ocorrência e distribuição da tripanossomose bovina no estado.por
dc.contributor.advisor1Vogel, Fernanda Silveira Flôres
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9676833435314493por
dc.contributor.advisor-co1Cargnelutti, Juliana Felipetto
dc.contributor.referee1Sangioni, Luis Antônio
dc.contributor.referee2Braunig, Patrícia
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6451230671458134por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.departmentMedicina Veterináriapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Medicina Veterináriapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIApor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Ruraispor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 6.3 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.