Show simple item record

dc.creatorSantos, Paula Machado dos
dc.date.accessioned2017-05-15
dc.date.available2017-05-15
dc.date.issued2006-02-22
dc.identifier.citationSANTOS, Paula Machado dos. Hidroponic lettuce sampling frequency to adjust growth curves. 2006. 82 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2006.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/4984
dc.description.abstractIn order to construct growth curves is necessary a sequence of many samples taken during lettuce growth period. However, mainly when the trial is made in a controlled environment, sampling frequency is limited. This work was carried out with the aim to reduce sampling destruction effect without change the result precision. Two field trials were made in a controlled environment, during two season, spring (09/20/2004 a 01/12/2005) and autumn (02/27/2005 a 07/20/2005), in the UFSM experimental area, Santa Maria, RS. Different sampling frequencies were simulated, using the adjust of diary sampling model. Optimum sampling frequency was made by comparing daily sampling model with simulated sampling model, in twos, by F test (p<0,005), using the error mean square of non linear regression analysis, pondered by freedom degrees. Simulations of the following variables: total, foliar, root and foliar area phytomass, were made just considering vegetative period and complete growth period. The result shows that season and period of growth should be taken into account to establish the best sampling frequency. Trials conducted during spring season, with complete growth period, show best results with samples taken in intervals of 3 (total), 8 (foliar), 20 (roots) and 9 (foliar area) days; with vegetative period, samples should be taken in intervals of 2,2,4 and 1 days. Trials conducted during autumn season, with complete growthperiod, the sample frequency should be of 2, 11, 12 and 11 days; and for vegetative growth, should be 2, 3, 4 and 1 dayseng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFitomassapor
dc.subjectRegressão não linearpor
dc.subjectÁrea foliarpor
dc.subjectRegression non lineareng
dc.subjectPhytomasseng
dc.subjectFoliar areaeng
dc.titleFreqüência de amostragem de plantas de alface hidropônica para ajuste de curvas de crescimentopor
dc.title.alternativeHidroponic lettuce sampling frequency to adjust growth curveseng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoDurante o crescimento da planta de alface é necessária uma seqüência de várias coletas de amostras até a maturação de colheita para construção de curvas de crescimento, porém, a freqüência em que se coletam amostras é limitada, principalmente quando o experimento é realizado em ambientes controlados. Para isso, buscou-se reduzir o efeito destrutivo de amostragens sem comprometer a precisão dos experimentos determinando-se a freqüência de amostragem de plantas de alface em hidroponia para o ajuste de curvas de crescimento. Foram realizados dois experimentos em estufa plástica nas estações de primavera e outono, no período de 20/09/2004 a 12/01/2005 e 27/02/2005 a 20/07/2005, respectivamente, em área pertencente ao Departamento de Fitotecnia, na UFSM, Santa Maria, RS. A partir do ajuste do modelo de amostragem diária, simularam-se diferentes freqüências de amostragem. Para encontrar a freqüência ideal de amostragem, foi comparado o modelo de amostragem diária com os modelos das diferentes amostragens simulados, dois a dois, pelo teste de F em nível de 5% de probabilidade de erro, utilizando-se os quadrados médios do erro da análise de regressão não linear, ponderados pelos respectivos graus de liberdade. Foram realizadas simulações considerando apenas o período vegetativo e ciclo completo (transplante até produção de sementes), para variáveis de fitomassa seca da planta e de partes da planta e área foliar. Em experimentos realizados com alface hidropônica na primavera, para o ciclo completo, devem ser realizadas amostragens a cada 3, 8, 20 e 9 dias para fitomassa seca relativa total da planta de alface, de folhas, de raiz e área foliar, respectivamente; enquanto que, para o período vegetativo, deve ser a cada 2, 2, 4 e 1 dias, respectivamente. Para o ciclo completo, utilizando-se as variáveis fitomassa seca relativa total, de folhas, de raiz e área foliar relativa em experimentos realizados no outono é recomendável utilizar freqüências de amostragens a cada 2, 11, 12 e 11 dias, respectivamente; e, para o período vegetativo, de 2, 3, 4 e 1 dias, respectivamentepor
dc.contributor.advisor1Lopes, Sidinei José
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4700757Z3por
dc.contributor.referee1Storck, Lindolfo
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4788328Y4por
dc.contributor.referee2Souza, Adriano Mendonça
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4721137Z8por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4777451E8por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentAgronomiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Agronomiapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.