Show simple item record

dc.creatorSilva, André Luís Lopes da
dc.date.accessioned2017-04-26
dc.date.available2017-04-26
dc.date.issued2005-03-04
dc.identifier.citationSILVA, André Luís Lopes da. In vitro seeds germination and morphogenesis of bottle gourd (Lagenaria siceraria (Mol.) Standl.) and squash (Cucurbita pepo L.). 2005. 61 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2005.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/5152
dc.description.abstractThe establishment and germination in vitro can supply a high amount of explants to develop morphogenesis protocols necessary for flowering induction in vitro, haploid and double-haploid plant production, clonal propagation, somatic embryogenesis among other applications. The objective was to develop protocols for the establishment and germination in vitro of bottle gourd (Lagenaria siceraria (Mol.) Standl.) and squash (Cucurbita pepo L.) species to effort morphogenesis studies. Seed disinfection treatments were done with ethanol 70% and NaOCl. Seed germination in vitro was evaluated changing medium-osmotic pressure, light availability, tegument and auxin presence, imbibition s time and scarification methods. Cotyledonary explants were used to induce direct organogenesis. Apical and nodal segments were grown in MS medium without growth regulators. Bottle gourd seeds did not germinate in culture medium, but it occurred on four layers of germitest paper and distilled water in the proportion of 1:7.5 (w/w). Light is not necessary for bottle gourd seed germination. Osmotic pressure reduction did not increase bottle gourd and squash germination. Bottle gourd apical and nodal segments regenerate in culture medium without growth regulators. Cotyledonary explants of bottle gourd and squash induce aerial growth, but in a low proliferation rateeng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCotilédonespor
dc.subjectOrganogênese diretapor
dc.subjectMorfogênesepor
dc.subjectCultivo in vitropor
dc.subjectCotyledonseng
dc.subjectDirect organogenesiseng
dc.subjectMorphogenesiseng
dc.subjectIn vitro cultureeng
dc.titleGerminação in vitro de sementes e morfogênese de porongo (Lagenaria siceraria (Mol.) Standl.) e mogango(Cucurbita pepo L.)por
dc.title.alternativeIn vitro seeds germination and morphogenesis of bottle gourd (Lagenaria siceraria (Mol.) Standl.) and squash (Cucurbita pepo L.)eng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoO estabelecimento e a germinação in vitro suprem explantes em grande quantidade para a organização de experimentos em morfogênese, a qual apresenta muitas aplicações, tais como a indução de flores in vitro, a obtenção de plantas haplóides e duplo-haplóides, a propagação clonal em massa, a embriogênese somática, entre tantas outras. O objetivo deste trabalho foi desenvolver protocolos que permitam o estabelecimento e a germinação in vitro das espécies de porongo (Lagenaria siceraria (Mol.) Standl.) e mogango (Cucurbita pepo L.) para subsidiar pesquisas em morfogênese. Foram realizados testes com álcool 70% e NaOCl (Hipoclorito de sódio) para a desinfestação de sementes e investigados vários fatores envolvidos na germinação in vitro, tais como pressão osmótica, fotoblastismo, presença do tegumento, adição de auxinas, tempo de embebição e escarificação. Explantes cotiledonares foram utilizados para a indução de organogênese direta. Ápices caulinares e segmentos nodais foram cultivados em meio MS sem a adição de reguladores de crescimento. Nenhum dos tratamentos utilizados foi eficiente para permitir a germinação de sementes inteiras de porongo em meio de cultura, porém houve germinação em papel germitest umidecido com 7,5 vezes a massa do papel. Não foi verificado fotoblastismo para o porongo. A redução da pressão osmótica não aumentou o percentual de germinação de porongo e mogango. Ápices caulinares e segmentos nodais de porongo regeneram sem a adição de reguladores de crescimento. Explantes cotiledonares podem ser utilizados para a indução de brotações adventícias, em porongo e mogango, porém a taxa de proliferação é baixapor
dc.contributor.advisor1Bisognin, Dilson Antônio
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4791129Y6por
dc.contributor.referee1Amarante, Cassandro Vidal Talamini do
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4785077D7por
dc.contributor.referee2Franco, Elci Terezinha Henz
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4788847T7por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4702307A4por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentAgronomiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Agronomiapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.