Show simple item record

dc.creatorFagan, Evandro Binotto
dc.date.accessioned2017-05-04
dc.date.available2017-05-04
dc.date.issued2005-02-03
dc.identifier.citationFAGAN, Evandro Binotto. Effects of irrigation regimes in yield hidroponic muskmelon. 2005. 79 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2005.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/5175
dc.description.abstractOne of the factors that influence loss in productivity of melon crop is the inadequate irrigation system. Intervals between irrigations is one importante case determined, especially in hidroponic systens. Two experiments were carried out with melon in hidroponic system Departamento of Fitotecnia of the Universidade Federal de Santa Maria, during spring - summer and summer-autumn seasons. The objectives were: get an estimative of the effect intervals between irrigation in the physiology, electric energy cost, accumulation, dry biomass partition, and fruit yield, with one and two fruits per plant. During spring - summer analyzed the effect between of irrigation intervals in fruits and yield and correlate with meteorologycal elements. During summer autumn were constituted two intervals irrigation at 6 to 19 (T15 15 min of irrigation with intervals of 15 min and T30 15 min of irrigation with intervals of 30 min.), and two fruit densities per plant D1 (one fruit) and D2 (two fruits), except in the second experiment that are constituted only of irrigation treatment. There was no interaction between irrigation intervals and fruit densities during spring - summer. Increasing intervals between irrigations decreases water availability to the plant at the beginning of growth and maturity of the fruits, because of increasing atmospheric demand. However, did not affect the evolution of dry biomass partition, and fruit yield. It compensate one decreasing in power cost in 32,7 %. From one to two fruits per plant increase the allocation of the photo-assimilates in fruits with a decrease in fruit size, however reflected in the growth of the final yield of 44%. An increase from 15 to 30 min between irrigation intervals did not affect fruit growth and the final yield during summer - autumn. Also the thermal time and solar radiation were importants to determine fruit growth due to the high coefficient of determination found in the proposed models (R2 varying from 0.71 to 0.94).eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectIrrigaçãopor
dc.subjectProduçãopor
dc.subjectCucumis melo Lpor
dc.subjectIrrigationeng
dc.subjectYieldeng
dc.subjectCucumis melo Leng
dc.titleRegime de irrigação e densidades de frutos na produção do melão hidropônicopor
dc.title.alternativeEffects of irrigation regimes in yield hidroponic muskmeloneng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoUm dos fatores que influência na perda de produtividade da cultura do meloeiro é o manejo inadequado da irrigação, sendo assim, a escolha de intervalos entre irrigações é um dos pontos que ainda deve ser melhor determinado, especialmente em sistemas pouco estudados, como é o caso da hidroponia. Em função disso realizou-se dois experimentos com meloeiro em sistema hidropônico no Departamento de Fitotecnia da UFSM, o primeiro durante o período de primaveraverão e o segundo no período de verão-outono. No primeiro experimento foi avaliado o efeito de intervalos entre irrigações na fisiologia, consumo de energia elétrica, acúmulo e partição de fitomassa seca e, conseqüentemente, na produtividade de frutos, com a densidade de um a dois frutos por planta. No segundo experimento foi avaliado o efeito de intervalos entre irrigações na expansão de frutos e produtividade final e proposto relações entre expansão de frutos e os elementos meteorológicos. Os tratamentos constituíram-se de dois intervalos entre irrigações das 6 ás 19h (T15 - 15 min de irrigação a intervalos de 15min e T30 - 15 min de irrigação a intervalos de 30 min) e duas densidades de frutos por planta D1 (um fruto) e D2 (dois frutos), exceto no segundo experimento que constou apenas dos tratamentos de irrigação. No primeiro experimento não se observou interação entre os regimes de irrigação e a densidade de frutos por planta nas variáveis analisadas. Os dados mostraram que o aumento do intervalo entre irrigação diminui a disponibilidade de água à planta durante o início do crescimento e maturação de frutos, em função do aumento da demanda atmosférica, entretanto não afetou a evolução e partição de fitomassa seca, bem como, a produtividade final de frutos, sendo mais vantajoso por proporcionar decréscimo de 32,7 % no consumo de energia elétrica. O incremento de um para dois frutos por planta aumentou a alocação de fotoassimilados para os frutos, embora tenha proporcionado uma diminuição no seu tamanho, no entanto refletiu-se no aumento de 44% na produtividade final. No segundo experimento, os dados evidenciaram que o aumento de 15 para 30 min no intervalo entre irrigação não afeta a expansão de frutos e a produtividade final. Já a soma térmica e a radiação solar são variáveis com forte influência na expansão de frutos devido ao elevado coeficiente de determinação encontrado nos modelos propostos (R2 variando de 0,71 a 0,94).por
dc.contributor.advisor1Medeiros, Sandro Luis Petter
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784158A8por
dc.contributor.referee1Garcia, Danton Camacho
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4702954P8por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4772518T5por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentAgronomiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Agronomiapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.