Show simple item record

dc.creatorAmaral, Aline Monique Blank do
dc.date.accessioned2014-12-09
dc.date.available2014-12-09
dc.date.issued2014-02-14
dc.identifier.citationAMARAL, Aline Monique Blank do. INFLUENCE OF LARGE SCALE ENVIRONMENTAL FACTORS ON THE SPATIAL DISTRIBUTION OF FRESHWATER MOLLUSKS. 2014. 92 f. Dissertação (Mestrado em Ciencias Biológicas) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/5315
dc.description.abstractThis dissertation presents unique approaches about the influence of environmental variables at different spatial scales (meso and macro regional temperature, rainfall and altitude) (1), and aquatic and terrestrial factors on a large scale (2) on the spatial distribution of Brazilian freshwater malacofauna. The study was conducted through meta-analysis, based on distribution data of gastropods and bivalves communities from the existing literature. According to the taxonomic composition, 35 localities from 33 previous studies were selected under certain criteria to minimize specifically sampling deviations. As some studies had focused exclusively on one mollusk class, from all the localities, 27 were used for gastropods communities analysis and 22 for bivalves. Environmental information was obtained from geospatial data. The similarity between gastropods and bivalves communities was represented by a Cluster analysis (WPGMA) and possible graphic distortions were evaluated by Coefficient of Cophenetic Correlation (r). Through a Mantel test, spatial autocorrelation was observed for both communities (r = 0.21, P = 0.02 for gastropods, and r = 0.425, P = 0.0002 for bivalves). Thus, a partial Mantel test was used, comparing the similarity matrixes and the environmental ones removing the geographic distance effect. The Bonferroni s correction was considered due to possible biases arising from sample variability. The dendrogram demonstrated the formation of 4 and 6 small groups, of bivalves and gastropods, respectively, with similarity greater than 50%. The Köppen s climate region had a significant positive correlation with both communities in both approaches (1) (2) despite the space issue. Environmental variables in macro scale (Köppen s climate region and rainfall range) were important in the distribution of gastropods and bivalves. At meso-scale, only altitude had a strong relationship with the bivalves communities. However, despite the obvious influence of the space, terrestrial variables (Köppen s climate region, biome and vegetal formation) had a stronger correlation with the bivalves communities than aquatic ones (hydrographic region and aquatic ecosystem). In addition, the aquatic ecosystem (e.g., lake, river), in this case, was not affected by space. For gastropods communities, in addition to strong correlation with Köppen s climate region, there was some relationship with hydrographic region, but this vanished when the effect of distance was removed. The results of this study indicate that the development of protection strategies for the freshwater malacofauna should consider macrovariables as Köppen s climate region, biome and even altitude, and the integrity of limnic ecosystems should also be included in conservation programs.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectMoluscospor
dc.subjectÁgua docepor
dc.subjectEscalapor
dc.subjectDistribuiçãopor
dc.subjectDiversidadepor
dc.titleINFLUÊNCIA DE FATORES AMBIENTAIS DE AMPLA ESCALA NA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE MOLUSCOS LÍMNICOSpor
dc.title.alternativeINFLUENCE OF LARGE SCALE ENVIRONMENTAL FACTORS ON THE SPATIAL DISTRIBUTION OF FRESHWATER MOLLUSKSeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA presente dissertação apresenta abordagens singulares acerca da influência de variáveis ambientais em diferentes escalas espaciais (temperatura, precipitação e altitude meso e macro regionais) (1) e de fatores terrestres e aquáticos em escala ampla (2) na distribuição espacial da malacofauna límnica brasileira. O estudo foi realizado através de meta-análise, a partir de dados de distribuição de comunidades de gastrópodes e bivalves existentes na literatura. Baseado na composição taxonômica, 35 localidades estudadas em 33 trabalhos foram selecionadas, utilizando-se critérios para minimizar especialmente divergências amostrais. Como alguns trabalhos concentraram-se exclusivamente em uma das classes de moluscos, do total de localidades, 27 foram utilizadas para análises das comunidades de gastrópodes e 22 para as de bivalves. As informações ambientais foram obtidas de dados geoespaciais. A similaridade entre as comunidades de gastrópodes e de bivalves foi representada por uma análise de Cluster (WPGMA) e possíveis distorções gráficas foram avaliadas pelo Coeficiente de Correlação Cofenética (r). Através do teste de Mantel foi verificada a existência de autocorrelação espacial para ambas as comunidades (r = 0.21, P = 0.02 para gastrópodes, e r = 0.425, P = 0.0002 para bivalves). Deste modo, um teste de Mantel parcial foi utilizado, comparando as matrizes de similaridade com as ambientais, removendo o efeito da distância geográfica. A correção de Bonferroni foi considerada devido a possíveis vieses da variabilidade amostral. Os dendrogramas evidenciaram a formação de 4 e 6 pequenos grupos para bivalves e gastrópodes, respectivamente, com similaridade maior do que 50%. A região climática de Köppen teve uma correlação significativa positiva com ambas as comunidades nas duas abordagens (1) (2) apesar da questão espacial. Variáveis ambientais em escala macro (região climática de Köppen e intervalos de precipitação) mostraram-se importantes na distribuição de gastrópodes e bivalves. Em escala meso, apenas a altitude teve forte relação com as comunidades de bivalves. Em contrapartida, apesar da evidente influência do espaço, variáveis terrestres (região climática de Köppen, bioma e formação vegetal) tiveram uma correlação mais forte com as comunidades de bivalves do que variáveis aquáticas (região hidrográfica e ecossistema aquático). Além disso, o ecossistema aquático (e.g., lago, rio), neste caso, não foi afetado pelo espaço. Para as comunidades de gastrópodes, além da forte correlação com a região de Köppen, houve relação com a região hidrográfica, mas esta deixou de existir quando o efeito da distância foi removido. Os resultados obtidos neste estudo indicam que a elaboração de estratégias de proteção (i.e., áreas de conservação) para a malacofauna límnica deve considerar macrovariáveis como região de Köppen, bioma e ainda altitude, e a integridade dos ecossistemas límnicos também deve ser incluída nos programas de conservação.por
dc.contributor.advisor1Kotzian, Carla Bender
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4786912U4por
dc.contributor.referee1Callil, Claudia Tasso
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5915247742582175por
dc.contributor.referee2Erthal, Fernando
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4772625H3por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6986347498732413por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentCiências Biológicaspor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biodiversidade Animalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICASpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.