Show simple item record

dc.creatorCapeleto, Dianni de Menezes
dc.date.accessioned2015-05-25
dc.date.available2015-05-25
dc.date.issued2014-10-03
dc.identifier.citationCAPELETO, Dianni de Menezes. PHARMACOGENETIC INFLUENCE OF THE SOD2 ENZYME IN THE IN VITRO RESPONSE TO RESVERATROL IN MONONUCLEAR CELLS. 2014. 73 f. Dissertação (Mestrado em Farmácia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/9012
dc.description.abstractResveratrol (RES) is an anti-aging molecule that provides both anti-inflammatory and antioxidant properties. However, it is unclear whether the basal oxidative state of the cell has any influence on the effects of this compound. In humans, a single nucleotide polymorphism (SNP) is present in the enzyme manganese superoxide dismutase (SOD2), localized in codon 16 (rs4880), which can either be an alanine (A) or valine (V). This SNP causes an imbalance in the cellular levels of SOD2, where AA- and VV-genotypes result in higher or lower enzy-matic activity, respectively. Furthermore, the VV-genotype has been associated with high levels of inflammatory cytokines. Here, we examined the effects of a range of RES concentra-tions on the in vitro activation of human peripheral blood mononuclear cells (PBMCs) carry-ing different Ala16Val-SOD2 genotypes. Cell proliferation (at 24 and 72 h) was analyzed using an MTT assay and several oxidative biomarkers and cytokines (IL-1β, IL-6, TNF-α, IFT-γ and IL-10) were also quantified. In addition, the effects of RES on the expression of the SIRT 1 gene were evaluated by qRT-PCR. We show that after 24 h exposure to RES, A-genotype PBMCs displayed a decrease in cell proliferation, whilst VV-cells contrasted this; although after 72 h, cell proliferation was similar in homozygous cells when compared to con-trol groups. At 10 μM RES, there was a significant decrease in the production of inflammato-ry cytokines in A-allele cells; however, VV-cells generally displayed a subtle decrease in the-se, except for TNF-α, which was not affected. In all SOD2 genotypes cells exposed to RES resulted in an upregulation of SIRT 1 levels. Together, these results suggest that the effect of RES on human PBMC activation is not universal and is dependent on the Ala16Val-SOD2 SNP.eng
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo a Pesquisa no Estado do Rio Grande do Sul
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectSuperóxido dismutase dependente de manganêspor
dc.subjectSirtuína 1por
dc.subjectCitocinaspor
dc.subjectEs-tresse oxidativopor
dc.subjectResveratrolpor
dc.subjectInflamaçãopor
dc.subjectSuperoxide dismutase manganese-dependenteng
dc.subjectSirtuin 1eng
dc.subjectCytokineseng
dc.subjectOxidative stresseng
dc.subjectResveratroleng
dc.subjectInflammationeng
dc.titleInfluência farmacogenética da enzima SOD2 na resposta in vitro ao resveratrol de células mononuclearespor
dc.title.alternativePharmacogenetic influence of the SOD2 enzyme in the in vitro response to resveratrol in mononuclear cellseng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoO resveratrol (RES) é uma molécula com propriedades na saúde humana incluindo ações anti-inflamatórias e antioxidantes, e no retardo do envelhecimento celular. Entretanto, não está claro se o estado oxidativo basal da célula tem alguma influência sobre os efeitos desta molécula. Em seres humanos, um polimorfismo de um único nucleotídeo (SNP) está presente na enzima superóxido dismutase dependente de manganês (SOD2), localizada no códon 16 (rs4880), que pode ser tanto uma alanina (A) ou valina (V). Este SNP provoca um desequilíbrio nos níveis celulares de SOD2, onde os genótipos AA e VV resultam em maior ou menor atividade enzimática, respectivamente. Além disso, o genótipo VV tem sido associ-ado com elevados níveis de citocinas inflamatórias. Nesse contexto, o presente estudo teve como objetivo investigar a influência do polimorfismo Ala16Val-SOD2 no efeito anti-inflamatório in vitro do RES em células monucleares do sangue periférico (CMSPs), através da análise da viabilidade, proliferação celular, parâmetros oxidativos, inflamatórios e na mo-dulação da expressão do mrNA e proteína da enzima Sirtuína 1 que está relacionado com o retardo da senescência celular. A proliferação celular (em 24 e 72 horas), foi analisada utili-zando ensaio de MTT, e alguns biomarcadores oxidativos e citocinas (IL-1β, IL-6, TNF-α, IFT-γ e IL-10) também foram quantificados. Além disso, os efeitos do RES sobre a expressão do gene da SIRT1 foram avaliados por qRT-PCR. Nós observamos que, após 24 horas de ex-posição ao RES, as CMSP-AA apresentaram uma redução na proliferação celular, enquanto as CMSP-VV apresentaram o contrário disto, embora, depois de 72 horas, a proliferação celu-lar foi semelhante em células homozigóticas quando comparado ao grupo controle. Na con-centração de 10 μM de RES, houve uma diminuição significativa na produção de citocinas inflamatórias em CMSP-AA. No entanto, as CMSP-VV geralmente apresentam uma redução sutil destas citocinas, exceto para TNF-α, que não foi afetado. Em todos os genótipos SOD2, as células expostas ao RES resultaram em uma regulação positiva dos níveis de SIRT1. Em conjunto, estes resultados sugerem que o efeito do RES na ativação de CMSPs não é universal e é dependente do polimorfismo Ala16Val-SOD2.por
dc.contributor.advisor1Cruz, Ivana Beatrice Mânica da
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3426369324110716por
dc.contributor.referee1Bauermann, Liliane de Freitas
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5849925846135968por
dc.contributor.referee2Duarte, Marta Maria Medeiros Frescura
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/6277584896102052por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4783513262272084por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentFarmacologiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Farmacologiapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::FARMACOLOGIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 6.3 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.