Show simple item record

dc.creatorBrum Neto, Helena
dc.date.accessioned2007-12-17
dc.date.available2007-12-17
dc.date.issued2007-10-24
dc.identifier.citationBRUM NETO, Helena. CULTURAL REGION: THE CONSTRUCTION OF CULTURAL IDENTITIES IN RIO GRANDE DO SUL AND ITS MANIFESTATION IN THE REGIONAL LANDSCAPE. 2007. 328 f. Dissertação (Mestrado em Geociências) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/9269
dc.description.abstractThe organization of the space analyzed by a cultural view allows us to visualize a range of material and immaterial aspects that go by the time and they materialize in the space, as a cultural legacy, that shows itself through the descent. In that perspective, this research is centered in the analysis of the construction of cultural identities in Rio Grande do Sul and its manifestation in the gaúcho landscape, pointing out the main existent cultural areas now in the State. For so, it was started from the theoretical rescue which based the guiding concepts of the research, centered in the culture conception, as a concept-key for the Cultural Geography. It was also approached subjects as identity, codes, migrations, landscape and cultural area. The rescue of the occupation processes and colonization that populated the territory turned into an essential phase for the understanding of its current social cultural structuring, allowing us to verify the transformations happened in the space and expressed in the landscape through the different ethnic groups by the insert of new cultural codes. Our main goal was to regionalize the State by cultural criteria, in other words, to establish space cuttings in agreement with the predominant ethnic group, having as base the municipal limits. For so, it was created a database concerning the main ethnic groups, formers of the 496 municipal districts that compose the State. With this information, it was made the insert in the Arc View GIS 3.1a software, which made that proposal of cultural regionalization operational. As a result four space cuttings were individualized: the cultural area 1 (of native origin, Portuguese, Spaniard, African and Açoriana), the cultural area 2 (German), the cultural area 3 (Italian) and the cultural area 4 (mixed). Besides the cultural areas, cultural islands were individualized in the State, by the presence of a predominant ethnic group, but that doesn't constitute a region due to the "ethnic isolation" of its surroundings, composed by other cultures. Delineated the regional cuttings, it was made the analysis of the cultural areas, in agreement with the expressiveness and the manifestation of the symbolic system that accompanies each society in its relation with the space and people. In agreement with the work proposal, this research was structured in five chapters, plus the introduction and of the final considerations: the chapter 1 refers to the theoretical rescue; in the chapter 2 the methodology is emphasized; the chapter 3 approaches the pertinent subjects the first phase of settlement of the State; the chapter 4 analyzes the colonization process, with emphasis for the immigration German, Italian and mixed; the chapter 5 identifies the cultural areas that compose Rio Grande do Sul now. It is pointed out that, the principal cultural codes identification that emanate of each social group made the analysis of the contribution of each ethnic group for the construction of the gaúcho culture possible. In that context, it can be considered the complexity of the ethnic-cultural composition of the gaúcho territory, originating from the population flows, which were inserted by processes controlled by specific politics of incentive to the settlement and the colonization. Such situation originated portions of the space endowed with meanings that, in turn form a cultural plurality, in other words, nowadays, the State is constituted in a ethnic-cultural mosaic, composed by diversified ethnic groups, at the same time that are recognized as essentially gaúchos .eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCulturapor
dc.subjectIdentidadepor
dc.subjectRegião culturalpor
dc.subjectCódigos culturaispor
dc.subjectRio Grande do Sulpor
dc.subjectCultureeng
dc.subjectIdentityeng
dc.subjectCultural areaeng
dc.subjectCultural codeseng
dc.subjectRio Grande do Suleng
dc.titleREGIÕES CULTURAIS: A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES CULTURAIS NO RIO GRANDE DO SUL E SUA MANIFESTAÇÃO NA PAISAGEM GAÚCHApor
dc.title.alternativeCULTURAL REGION: THE CONSTRUCTION OF CULTURAL IDENTITIES IN RIO GRANDE DO SUL AND ITS MANIFESTATION IN THE REGIONAL LANDSCAPEeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA organização do espaço analisada pelo viés cultural permite visualizar uma gama de aspectos materiais e imateriais que perpassam o tempo e se materializam no espaço, como um legado cultural, que se manifesta através da descendência. Nessa perspectiva, essa pesquisa centra-se na análise da construção de identidades culturais no Rio Grande do Sul e sua manifestação na paisagem gaúcha, salientando as principais regiões culturais existentes no Estado atualmente. Para tanto, partiu-se do resgate teórico o qual fundamentou os conceitos orientadores da pesquisa, centrados na concepção de cultura, como conceito-chave para a Geografia Cultural. Também se abordou questões como identidade, códigos, migrações, paisagem e região cultural. O resgate dos processos de ocupação e colonização que povoaram o território gaúcho constituiu-se em uma fase essencial para entender a sua atual estruturação sociocultural, permitindo verificar as transformações ocorridas no espaço e expressas na paisagem pelas distintas etnias mediante a inserção de novos códigos culturais. Teve-se como meta regionalizar o Estado mediante critérios culturais, ou seja, estabelecer recortes espaciais de acordo com a etnia predominante, tendo como base os limites municipais. Para tanto, criou-se um banco de dados referente à principal etnia formadora dos 496 municípios que compõem o Estado. De posse dessas informações fez-se a inserção no software Arc View GIS 3.1a, o qual operacionalizou essa proposta de regionalização cultural. Como resultado individualizou-se quatro recortes espaciais: a região cultural 1 (de origem nativa, portuguesa, espanhola, africana e açoriana), a região cultural 2 (alemã), a região cultural 3 (italiana) e a região cultural 4 (mista). Além das regiões culturais, individualizaram-se ilhas culturais no Estado, pela presença de uma etnia predominante, mas que não constitui uma região devido ao isolamento étnico do seu entorno, composto por outras culturas. Delineados os recortes regionais, fez-se a análise das regiões culturais, de acordo com a expressividade e a manifestação do sistema simbólico que acompanha cada sociedade em sua relação com o espaço e com os seus semelhantes. De acordo com a proposta de trabalho, essa pesquisa estruturou-se em cinco capítulos além da introdução e das considerações finais: o capítulo 1 refere-se ao resgate teórico; no capítulo 2 enfatiza-se a metodologia; o capítulo 3 aborda as questões pertinentes a primeira fase de povoamento do Estado; o capítulo 4 analisa o processo de colonização, com ênfase para a imigração alemã, italiana e mista; o capítulo 5 identifica as regiões culturais que compõe o Rio Grande do Sul atualmente. Salienta-se que, a identificação dos principais códigos culturais que emanam de cada grupo social, subsidiou a análise da contribuição de cada etnia para a construção da cultura gaúcha. Nesse contexto, pode-se considerar a complexidade da composição étno-cultural do território gaúcho, oriunda de fluxos populacionais, que se inseriram mediante processos controlados por políticas específicas de incentivo ao povoamento e a colonização. Tal situação originou porções do espaço dotadas de significados que, por sua vez formam uma pluralidade cultural, ou seja, atualmente, o Estado constitui-se em um mosaico étnocultural, composto por etnias diversificadas, ao mesmo tempo em que se reconhecem como essencialmente gaúchas.por
dc.contributor.advisor1Bezzi, Meri Lourdes
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4787163A1por
dc.contributor.referee1Cardoso, Eduardo Schiavone
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4736831A9por
dc.contributor.referee2Medeiros, Rosa Maria Vieira
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4786347J1por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4737204H1por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentGeociênciaspor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Geografia e Geociênciaspor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.