Show simple item record

dc.creatorStumpf, Ana Rita Lancini
dc.date.accessioned2017-05-29
dc.date.available2017-05-29
dc.date.issued2014-02-28
dc.identifier.citationSTUMPF, Ana Rita Lancini. Pro- and anti-inflammatory cytokines and c-reactive protein profiles during the treatment of canine transmissible venereal tumor. 2014. 77 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/10174
dc.description.abstractThe canine transmissible venereal tumor (CTVT) is unique in various aspects, and the principal is that the tumoral cells are not originated from the hos t. Recent findings showed that the CTVT is a transplantable tumor that first appeared in a dog ancestor approximately 10000 years ago. The tumoral cells propagate mainly through coitus, develop a s a graft, and have the capability of installing themselves by mechanisms of escape from the host's immunologic response. This specific response involves cellular and humoral immunity and varies according to some factors not yet very elucidated. Beyond the well-known role of fi ghting the tumor cells, the inflammatory response also plays an involuntary and paradoxical role, w hich results in the promotion of tumor growth by releasing vasculogenic, antiapoptotic, and cellular growth- promoting substances. The fact that tumors can benefit from the inf lammatory response makes the investigation of the mechanisms involved important for the development of new therapies focused on the modulation of the inflammatory response to control the tumor development. The aim of this work is to better understand the mechanisms behind tumora l growth by the measurement of the levels of pro-inflammatory (IL-1, IL-6, TNF- α and INF- γ ) and anti- inflammatory (IL-10) cytokines and the C-reactive protein (CRP) ove r the treatment of dogs naturally infected with CTVT. The quantification of the cytokines and CRP was performed in the animals' serum from samples obtained at the moments of the diagnosis and pre-therapy, immediately before chemotherapy, and after the confirmation of the cure of each animal. According to therapy response, two groups were identified, R, were t he tumor was resistant to therapy and NR, which was susceptible. A cure probability was define d in relation to time of treatment and tumor response to vincristin. In group R all parameter s varied significantly: The expression of pro-inflammatory cytokines and CRP were higher, and of I L-10, lower, comparing to group NR. For pro-inflammatory cytokines, this difference was ma intained until cure. Statistical analysis was able to detect correlations betwee n all variables, demonstrating the participation of cytokines during tumor evolution. The role of inflammati on has been postulated and, although the mechanisms remain unclear, a correlation of chronic i nflammation and cancer susceptibility has been demonstrated. Because CTVT is a tumor of foreign cells, it is a suitable model to investigate the mechanisms involved in tumor maintenance and deve loping, as well as the associated immune response.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectIL-1por
dc.subjectIL-6por
dc.subjectIL-10por
dc.subjectTNF-αpor
dc.subjectINF-γpor
dc.subjectProteína C-reativapor
dc.subjectTVTcpor
dc.titlePerfil de citocinas pró- e anti-inflamatória e da proteína c-reativa no tratamento do tumor venéreo transmissível caninopor
dc.title.alternativePro- and anti-inflammatory cytokines and c-reactive protein profiles during the treatment of canine transmissible venereal tumoreng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoO tumor venéreo transmissível canino (TVTc) é um tumor único em vários aspectos, sendo o principal, o fato de as células tumorais não serem originárias do animal acometido. Resultados de pesquisas recentes demonstraram que o TVTc é um tumor transplantável que surgiu em ancestrais do cão doméstico há aproximadamente 10000 anos. As células, que se propagam principalmente pelo coito, se desenvolvem como um enxerto e apresentam a capacidade de se implantar através de mecanismos de escape à resposta imunológica do hospedeiro. Essa resposta envolve a imunidade celular e humoral e varia de acordo com fatores não totalmente elucidados. Além do conhecido papel na resposta imune com o objetivo de combater tumores, a resposta inflamatória desempenha um papel involuntário e paradoxal que resulta na promoção do crescimento tumoral pela liberação de substâncias vasculogênicas, antiapoptóticas e promotoras de crescimento celular. O fato de que os tumores possam se beneficiar da resposta inflamatória torna necessárias pesquisas visando o desenvolvimento de terapias direcionadas à modulação da resposta inflamatória para o controle do desenvolvimento tumoral. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi compreender melhor os mecanismos envolvidos no desenvolvimento do tumor através da mensuração dos níveis das citocinas pró-inflamatórias (IL- 1, IL-6, TNF-α e INF-γ) e da anti-inflamatória (IL-10) e de uma proteína de fase aguda da inflamação, a Proteína C-reativa (PCR) durante o tratamento de cães naturalmente infectados pelo TVTc. A quantificação das citocinas e da PCR foi realizada no soro dos animais a partir de amostras obtidas no diagnóstico e pré-terapia, imediatamente antes de cada nova aplicação 9 quimioterápica e no momento em que o animal era considerado curado. A partir da resposta à quimioterapia foram caracterizados grupos de animais de acordo com os tumores resistentes (R) e não-resistentes (NR). Foi estabelecida a probabilidade de cura em relação ao tempo de terapia, de acordo com o tipo de tumor. No grupo R, foi observada variação significativa em todos os parâmetros, sendo a expressão das citocinas pró-inflamatórias e da PCR, mais elevadas e a expressão da IL-10 inferior em relação à expressão observada em amostras dos animais do grupo NR. No caso das citocinas pró-inflamatórias e da PCR, essa diferença se manteve até a cura dos animais, diferindo da IL-10, cujas concentrações foram similares nos dois grupos ao final do tratamento. A análise estatística realizada detectou a presença de correlações entre as variáveis, demonstrando a participação das citocinas durante o processo de evolução tumoral. O papel da inflamação no desenvolvimento do câncer foi postulado, apesar de os mecanismos moleculares não terem sido elucidados, sabe-se que a inflamação crônica eleva a probabilidade do desenvolvimento de tumores. Pelo fato de o TVTc ser um tumor de células estranhas ao organismo, seu estudo é importante para verificar os mecanismos relacionados com a manutenção e desenvolvimento dos tumores, bem como da resposta imune associada.por
dc.contributor.advisor1Krause, Alexandre
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4721148D0por
dc.contributor.referee1Amaral, Anne Santos do
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728321T9por
dc.contributor.referee2Rodrigues Junior, Luiz Carlos
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4707384D7por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6057308128539335por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentMedicina Veterináriapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Medicina Veterináriapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.