Show simple item record

dc.contributor.advisorFedosse, Elenir
dc.creatorSchöffer, Ana Paula
dc.date.accessioned2018-03-05T12:55:17Z
dc.date.available2018-03-05T12:55:17Z
dc.date.issued2017-03-24
dc.date.submitted2017
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/12607
dc.descriptionArtigo (especialização) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências da Saúde, Curso de Especialização em Residência Multiprofissional Integrada em Sistema Público de Saúde, RS, 2017.por
dc.description.abstractIn Brazil, demographic, epidemiological and nutritional transition processes, urbanization and economic and social growth contribute to the greater risk of the population to the development of chronic health conditions. Chronic conditions are non-infectious health conditions that evolve throughout life, from multiple and complex causes, and must be managed proactively, continuously and integrated by health care systems, health professionals and users. Today, the epidemiological pro file is changed, but the organization of health care is not so much. Thus, chronic conditions have not been effectively addressed in Primary Health Care and therefore generate a high cost for the Public Health System. Knowing the epidemiological pro file of a given population is necessary to plan and monitor the development of health actions. Therefore, the objective of this study was to characterize the most prevalent chronic conditions in six municipalities of the. In the State of. Which did not participate in the Primary Health Care Planning project developed by the 4th Regional Health Coordination promoted by the Health Secretariat in Partner with the National Council of Health Secretaries (CONASS). The data were searched in the online database in the Department of Information Technology of SUS (DATASUS) between September and November 2016, corresponding to the period from 2011 to 2015. It was observed that the Diseases of the Circulatory System are among the most prevalent in all The municipalities, regardless of sex, age and race, as well as Respiratory System Diseases. This knowledge is indispensable for Primary Health Care (PHC) teams to plan actions in accordance with existing policies in order to reduce the occurrence of new diseases as well as adequately treat ongoing diseases.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectCondições crônicaspor
dc.subjectPerfil epidemiológicopor
dc.subjectSUS (Sistema Único de Saúde)por
dc.subjectAtenção primária à saúdepor
dc.subjectChronic conditionseng
dc.subjectEpidemiological profileeng
dc.subjectHealth unic systemeng
dc.subjectPrimary health careeng
dc.titleCaracterização das condições crônicas prevalentes em municípios da Região Verdes Campos do Rio Grande do Sulpor
dc.title.alternativeCharacterization of the prevalent chronic conditions in municipalities of the Verdes Region from Rio Grande do Suleng
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Especializaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasilpor
dc.degree.specializationResidência Multiprofissional Integrada em Sistema Público de Saúdpor
dc.description.resumoNo Brasil, os processos de transição demográfica, epidemiológica e nutricional, a urbanização e o crescimento econômico e social contribuem para o maior risco da população ao desenvolvimento de condições crônicas de saúde. As condições crônicas são condições de saúde não infecciosas que evoluem ao longo da vida, de causas múltiplas e complexas que precisam ser manejadas de maneira proativa, contínua e integrada pelos sistemas de atenção à saúde, pelos profissionais de saúde e pelos usuários. Hoje, o perfil epidemiológico está mudado, mas a organização dos sistemas e da atenção à saúde nem tanto. Assim, as condições crônicas não têm sido tratadas efetivamente na Atenção Básica/Atenção Primária à Saúde (AB/APS) e, por isso, geram alto custo para o Sistema Público de Saúde. Conhecer o perfil epidemiológico de uma determinada população é necessário para planejar e monitorar o desenvolvimento de ações em saúde. Diante disso, o objetivo do estudo foi caracterizar as condições crônicas mais prevalentes em seis municípios da Região Verdes Campos (interior gaúcho) que não participaram do projeto Planificação da Atenção Primária à Saúde, desenvolvido pela 4a Coordenadoria Regional de Saúde, promovido pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul em parceira com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). Os dados foram buscados na base on-line do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), entre setembro e novembro de 2016, correspondente ao período de 2011 a 2015. Observou-se que as Doenças do Aparelho Circulatório estão entre as mais prevalentes em todos os municípios, independentemente do sexo, idade e raça, assim como as Doenças do Aparelho Respiratório. Esse conhecimento é indispensável para que as equipes da AB/ APS possam planejar suas ações de acordo com as políticas existentes a fim de reduzir a ocorrência de novas doenças, bem como tratar adequadamente as em curso.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDEpor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências da Saúdepor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.