Show simple item record

dc.contributor.advisorHillig, Clayton
dc.creatorAlmeida, Juliana da Costa
dc.date.accessioned2018-07-18T14:35:56Z
dc.date.available2018-07-18T14:35:56Z
dc.date.issued2011-08
dc.date.submitted2011
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/13835
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Curso de Especialização em Agricultura Familiar Camponesa e Educação do Campo, RS, 2011.por
dc.description.abstractThis work is a historical experiences of the Solidarity Economy and the organization of workers to collective production existing in Brazil since the colonial Brazil until today, with the first experiments on Solidarity with this nomenclature. She is also a synopsis of some conceptions of the Solidarity Economy in use today, some of them contradicting each other, and focus the debate on women and the Solidarity Economy and the main points that other perspectives exist for the existing economy. This also brings the Participation of Women in Society, discussing the origin of gender oppression within a historical materialist logic, right after focusing on the participation of women in agrarian reform and the MST, as an experience of more advanced towards policies affirmative spaces for female participation in decisionmaking of social movements. Shortly thereafter discusses women in Solidarity Economy, with a prospect of liberation and construction of female autonomy. Seeks to differentiate between the Solidarity Economy and Solidarity Economy and Feminist and justify the importance of the latter to the advancement of gender relations. Finally, it makes a case study of the group of women who gave birth to the bakery management and New Horizons in the settlement Conception Tupanciretã municipality. The research proposes to study the strengths and weaknesses of the group and the relationship between the bakery "New Horizons" and the Regional Agrarian Reform Cooperative Mother Earth (Coperterra) is one of the main strongholds for the existing group, because women are not isolated in a group of six people, are an arm of a cooperative that now has over 200 members. Although the whole process, the great challenge for the next period is the group to keep the internal organization of the organic and rescue, which has somehow been forgotten a bit depending on production demands imposed.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectMST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra)por
dc.subjectReforma agráriapor
dc.subjectMulherespor
dc.subjectEconomia solidáriapor
dc.subjectLand reformeng
dc.subjectWomeneng
dc.subjectSolidarity economyeng
dc.titleO grupo de mulheres do PE Conceição: o trabalho, a geração de renda e a autonomiapor
dc.title.alternativeThe women's group of PE Conception: work, income generation and autonomyeng
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Especializaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasilpor
dc.degree.specializationAgricultura Familiar Camponesa e Educação do Campopor
dc.description.resumoO presente trabalho faz um resgate histórico das experiências de Economia Solidária e da organização de trabalhadores para produção coletiva existentes no Brasil desde o Brasil Colônia até os dias atuais, apresentando as primeiras experiências de Economia Solidária com esta nomenclatura. Faz também um apanhado de algumas concepções de Economia Solidária existentes atualmente, contrapondo algumas delas entre si, além de focar o debate sobre as mulheres e a Economia Solidária e aponta as principais perspectivas existentes para essa outra economia existente. Também traz presente a Participação da Mulher na Sociedade, discutindo a origem da opressão de gênero dentro de uma lógica materialista histórica, focando logo em seguida para a participação das mulheres na Reforma Agrária e no MST, como uma experiência das mais avançadas no sentido de políticas afirmativas de participação feminina em espaços de tomada de decisão de movimentos sociais. Logo em seguida discute as mulheres na Economia Solidária, com uma perspectiva de libertação e construção da autonomia feminina. Busca fazer uma diferenciação entre a Economia Solidária e a Economia Solidária e Feminista e justificar a importância da última para o avanço das relações de gênero. Por fim, faz um estudo de caso do grupo de mulheres que deu origem e gesta a padaria Novos Horizontes, no assentamento Conceição, município de Tupanciretã. A pesquisa propõe-se a estudar os avanços e limites do grupo e a relação existente entre a padaria “Novos Horizontes” e a Cooperativa Regional da Reforma Agrária Mãe Terra (Coperterra) é uma das principais fortalezas existentes para o grupo, pois as mulheres não se encontram isoladas em um grupo de seis pessoas, são um braço de uma cooperativa que hoje tem mais de 200 sócios. Apesar de todo o processo, o grande desafio lançado para o próximo período está no grupo manter a organização interna e resgatar a organicidade, que de alguma forma foi um pouco esquecida em função das demandas produtivas impostas.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIASpor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Ruraispor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.