Show simple item record

dc.contributor.advisorSouza, Renato Santos de
dc.creatorFerreira, Fernanda de Figueiredo
dc.date.accessioned2019-04-04T14:55:28Z
dc.date.available2019-04-04T14:55:28Z
dc.date.issued2011-08
dc.date.submitted2011
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/16070
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Curso de Especialização em Agricultura Familiar Camponesa e Educação do Campo, RS, 2015.por
dc.description.abstractThis study aims to analise the role of the Manager Group in the transition process of the organic rice cultivation in the land reform settlements in Rio Grande do Sul. The Manager Group of Organic Rice has been a successful experience due to the current theoretical economic cooperation and the new organizational processes proposed by the Movement of Landless Workers (MST) in the development of commercialization and entry into new markets. The study was conducted based on the experience of the Manager Group in the metropolitan area of Porto Alegre where the group is consolidated and in different situations in the new settlements in RS, where the process of organization is recent. The study used different information sources, which are focused on the techniques of observation and interviews, as well as the participation in meetings and trainings with the families and institutions involved in this process of formation. The results indicate that the Manager Group has been an important tool considering the processes of economic and social cooperation, and the dynamics used has given the peasant families new perspectives regarding the organization. The new form of organization made some relations closer as well as made the deconstruction of some conflicts possible, even though some groups represent different opinions, strategies punctuated by the Manager Group and the institutions that support the credit policies and government programs in enhancing the cooperative work. The Group emerged as a consistent alternative, represented by all the instances that comprise the basis of the settlement, the region and the executive of the Movement. The purposes that the organization takes concerning the work, the new matrix of production, relationships, partnerships, and technical assistance have guaranteed the strength and the organicity of the new settlements, as well as involved on the construction of policies of agricultural and rural development.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectGrupo gestorpor
dc.subjectArroz orgânicopor
dc.subjectReforma agráriapor
dc.subjectCooperação agrícolapor
dc.subjectDesenvolvimento ruralpor
dc.subjectManager groupeng
dc.subjectOrganic riceeng
dc.subjectLand reformeng
dc.subjectAgricultural cooperationeng
dc.subjectRural developmenteng
dc.titleA formação e organização do grupo gestor do arroz orgânico nos assentamentos de reforma agrária no RSpor
dc.title.alternativeTraining and organization of organic rice group manager in settlements of land reform in RSeng
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Especializaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasilpor
dc.degree.specializationAgricultura Familiar Camponesa e Educação do Campopor
dc.description.resumoA presente monografia pretende analisar o papel do Grupo Gestor no processo de transição do cultivo de arroz orgânico dos assentamentos de reforma agrária no Rio Grande do Sul. O Grupo Gestor do Arroz Orgânico configura-se em uma experiência exitosa, dados os atuais referenciais teóricos de cooperação econômica e os novos processos organizativos propostos pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no desenvolvimento da comercialização e inserção em novos mercados. O estudo foi realizado a partir da experiência do Grupo Gestor na região metropolitana de Porto Alegre, onde este já está consolidado, e em diferentes situações encontradas nos novos assentamentos do RS, onde o processo de organização é recente. O estudo utiliza variadas fontes de informação, que estão centradas nas técnicas de observação e entrevistas, bem como a participação em reuniões e espaços de formação, juntamente com as famílias e com instituições vinculadas a esse processo de formação. Os resultados indicam que o Grupo Gestor tem se constituído em uma importante ferramenta frente aos processos de cooperação econômica e social, e a dinâmica adotada tem atribuído novos significados à organização frente às famílias camponesas. A nova forma de organização possibilitou, também, o afinamento de algumas relações, bem como a desconstrução de alguns conflitos. Ainda que, alguns grupos constituam opiniões diferentes, as estratégias pontuadas pelo Grupo Gestor e pelas instituições que dão suporte às políticas de crédito e programas de governo, potencializam os trabalhos cooperados. O Grupo surge como uma alternativa consistente, representada por todas as instâncias que englobam a base do assentamento, da região e da executiva do MST. Os propósitos que a organização adota no âmbito do trabalho, da nova matriz de produção, das relações, das parcerias e do modo como vem sendo trabalhada a assistência técnica, têm garantido o fortalecimento e a organicidade dos assentamentos novos, bem como implicado sobre a construção de políticas de desenvolvimento agrícola e rural.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIASpor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Ruraispor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.