Show simple item record

dc.contributor.advisorMorais, Mônica Zavacki de
dc.creatorSouza, Déia dos Santos de
dc.date.accessioned2019-05-14T12:30:06Z
dc.date.available2019-05-14T12:30:06Z
dc.date.issued2010-12-20
dc.date.submitted2010
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/16550
dc.descriptionArtigo (especialização) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação, Curso de Especialização em Educação Especial - Déficit Cognitivo e Educação de Surdos, EaD, RS, 2010.por
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectLibras (Língua Brasileira de Sinais)por
dc.subjectComunicaçãopor
dc.subjectEducaçãopor
dc.titleEstratégias para introdução da Língua Brasileira de Sinais para alunos surdospor
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Especializaçãopor
dc.degree.localPolo de São Gabriel, RS, Brasilpor
dc.degree.specializationEducação Especial - Déficit Cognitivo e Educação de Surdos, EaDpor
dc.description.resumoO tema e objetivo deste artigo é problematizar as práticas lingüísticas no ensino da Língua Brasileira de Sinais para alunos surdos. A metodologia utilizada para a elaboração do artigo é a pesquisa bibliográfica, baseada em obras já editadas sobre o assunto. A Língua Brasileira de Sinais se desenvolveu a partir da língua de sinais francesa. As línguas de sinais não são universais, cada país possui a sua. Atribui-se às Línguas de Sinais o status de língua porque elas também são compostas pelos níveis lingüísticos: o fonológico, o morfológico, o sintático e o semântico. O que diferencia as Línguas de Sinais das demais línguas é a sua modalidade visual-espacial. Segundo a legislação vigente, a Libras se constitui em um sistema lingüístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil, na qual há uma forma de comunicação e expressão, de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria. Na educação de alunos surdos, a língua inicial deve ser a língua de sinais, pois possibilita a estimulação da comunicação inicial na escola, pois os surdos possuem um bloqueio para a aquisição natural de uma linguagem oral. O dever dos educadores é amenizar as barreiras de acessibilidade às situações discursivas entre o professor e o aluno, oferecendo suporte teórico e metodológico.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAOpor
dc.publisher.unidadeCentro de Educaçãopor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.