Show simple item record

dc.contributor.advisorJahn, Sérgio Luiz
dc.creatorSeelig, Chrystian Adriel
dc.creatorCalgarotto, Debora
dc.creatorMartins, Lourenço Mainardi
dc.date.accessioned2020-12-14T14:41:28Z
dc.date.available2020-12-14T14:41:28Z
dc.date.issued2020-09-29
dc.date.submitted2020
dc.identifier.citationSEELIG, C. A.; CALGAROTTO, D.; MARTINS, L. M. NPK Bio: pacote tecnológico de biofertilização de soja. 2020. 198 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Química)-Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2020.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/20219
dc.descriptionTrabalho de conclusão de curso (graduação) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Tecnologia, Curso de Engenharia Química, RS, 2020.por
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectSojapor
dc.subjectInoculante agrícolapor
dc.subjectFixação biológica de nitrogêniopor
dc.subjectSolubilização de fosfatospor
dc.titleNPK Bio: pacote tecnológico de biofertilização de sojapor
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Graduaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasil.por
dc.degree.graduationEngenharia Química.por
dc.description.resumoA soja, um dos grãos mais produzidos no Brasil, tem demanda mundial crescente decorrente de sua utilização para fabricação de rações, óleos e biocombustíveis. Como as áreas de terra agricultáveis são limitadas, a solução é o aumento da produtividade por área plantada. Entre as alternativas, têm-se o aumento da quantidade de fertilizantes inorgânicos incorporados ao solo, como potássio e fósforo, e a adição de microrganismos que propiciem condições para disponibilizar esses nutrientes. Face a oferta limitada de fertilizantes inorgânicos, a segunda opção tem uma aceitação crescente no mercado. A fixação biológica de nitrogênio por adição de inoculantes às sementes no plantio é uma tecnologia amplamente utilizada. Entretanto, a incorporação conjunta de microrganismos que elevem a disponibilização de fosfatos às raízes das plantas é uma tecnologia não consolidada. Assim, o objetivo desse trabalho é avaliar a viabilidade técnica e econômica da produção de um inoculante, que contenha microrganismos que realizem a fixação do nitrogênio e a solubilização de fosfatos já presente nos solos. A tecnologia adotada para a produção do inoculante envolve o crescimento microbiano de três cepas de microrganismos em reatores de fermentação batelada, empregando meios de cultura onde os açúcares são obtidos a partir de milhocina e da hidrólise ácida da quirera de arroz. Os microrganismos, concentrados por sistemas de membranas, serão incorporados à turfa e comercializados na forma sólida, em pacotes de 300 g, onde deverá conter uma quantidade mínima de 3x109 UFC/g de cada cepa. A unidade industrial foi projetada para a produção anual de 1.332.736 doses e deverá ser instalada, preferencialmente, no município de Londrina, no Paraná. Todas as etapas desse processo foram dimensionadas através de balanços de massa e energia, bem como foram dimensionadas as instalações de utilidades e principais equipamentos. A análise econômica foi realizada utilizando o modelo Venture Profit. O investimento inicial para implantação do empreendimento será de R$ 6.722.767,43, o payback descontado é entre 13 e 14 anos e a taxa interna de retorno de 11,08% a.a, observando-se um retorno do investimento cerca de 11 anos após a instalação do estabelecimento.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA QUIMICApor
dc.publisher.unidadeCentro de Tecnologiapor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto

O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 6.3 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.