Show simple item record

dc.creatorBraz, Evaldo Muñoz
dc.date.accessioned2010-04-13
dc.date.available2010-04-13
dc.date.issued2010-03-05
dc.identifier.citationBRAZ, Evaldo Muñoz. SUPPORT TO MANAGEMENT PLANNING IN AMAZONIA TROPICAL FORESTS. 2010. 237 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais e Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/3723
dc.description.abstractThe aim of this work is to rise up a procedure to support the management plans. This research is divided into seven chapters. In the first chapter, the introduction, with justification and the objectives of the work are referred. In the second chapter, a review of the literature about management of natural tropical forests is done, considering the difficulties, general and special conditions for effective implementation of the management of natural tropical forests. In the third chapter, it is defined the fundamental point of this work: to propose a procedure for calculating the cutting rate using the method BDq in combination with the growth of species with similar percentage volume increment. In the fourth chapter, it is suggested a procedure for detailed logging plan: road network planning; it was calculated the load and time of the skidder cycle; designed the size and performance of teams and all is compared with outputs obtained on the field. In the fifth chapter, using the method of ratio of diameter movement , fed with data from the permanent plot, a stand table projection of the diameter classes to assess the sustainability of cut rate for the period is done. The sixth chapter is a proposal for monitoring the management system. Finally, the seventh chapter analyses the economic viability of the compartment. Regarding the results for cutting rate from the compartment of 547 ha have been identified 3 groups of species with different rates of growth. Cut intensities were defined as 32.58% for group I; 48.62% for group II; and 56.23% % for group III. The total extraction for all compartment was 50.8%. The potential of the compartment was 17,021.46 m³ (31.11 m³ / ha), and the sustainable rate of cutting was 8,649.97 m³ (15.81 m³ / ha). To recover this extraction it is necessary a MAI of 0.63 m³ / ha / year. The logging indexes were: the optimal distance between landings was 540m. The optimum secondary road density calculated was 18.49 m / ha and the actual obtained in the field is, 21m/ha. The calculation of optimal number of landings was 24, to serve to 23 hectares each one, with capacity of 368m³ of timber in two stages, comprising only 0.22% of the area of the compartment. The maximum load capacity to Skidder was 7 ton in clay ground, dry, without structure and with a maximum gradient of 15%, and 4.6 ton in sand soil, slope of up to 10%. The average cycle time to skid was 11 minutes and 42 seconds; the average load of 6.11 tons was found. The stand table projection indicated an increase of mean annual increment (MAI) of 0.64 m³ / ha / year in the commercial classes (up to 45 DHB) and 0.67 m³ / ha / year in the above classes of 25 DBH. The ingress in the commercial classes was 4.17 trees per hectare to a cut cycle of 25 years. These data report that the recovery is feasible for the rate cut foreseen. It was also simulated a removal of all commercial classes (31.11 m³ / ha), and the result to cut cycle was an increment was 0.35 m³ / ha / year replacing only 28%. This reinforces the importance of evaluating the structure of the forest, besides the sustainable rate cut, to guarantee a replacement of adequate MAI. The girth limit for maximum production was 75 cm of DHB in this stand. The checklist about the sustainability of logging operations shows the adaptation of the enterprise to the new concepts of management. About the economical valuation, it was positive according Net Preset Value for the taxes of 6% a.a ., getting R$ 439,81/ha and R$ 240.579,31 for all compartment of 547 ha.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectManejopor
dc.subjectFlorestas tropicaispor
dc.subjectTaxa de corte sustentadapor
dc.subjectSustentabilidadepor
dc.subjectOperaçõespor
dc.subjectPrognose do povoamentopor
dc.subjectManagementeng
dc.subjectTropical foresteng
dc.subjectSustainable allowable cuteng
dc.subjectSustainabilityeng
dc.subjectOperationseng
dc.subjectStand prognosiseng
dc.titleSUBSÍDIOS PARA O PLANEJAMENTO DO MANEJO DE FLORESTAS TROPICAIS DA AMAZÔNIApor
dc.title.alternativeSUPPORT TO MANAGEMENT PLANNING IN AMAZONIA TROPICAL FORESTSeng
dc.typeTesepor
dc.description.resumoEsta pesquisa visa levantar procedimentos que devem ser incluídos nos planos de manejo. O trabalho está dividido em sete capítulos. No primeiro capítulo, são mencionados introdução, justificativa e objetivos do trabalho. No segundo capítulo, é realizada a revisão bibliográfica sobre o manejo das florestas naturais tropicais, avaliando as dificuldades, condições gerais e específicas para implantação efetiva do manejo das florestas naturais tropicais. No terceiro capítulo, foi definido o ponto fundamental do trabalho: propor um procedimento para cálculo da taxa de corte utilizando o método de Área Basal Máximo DAP-q em combinação com o crescimento de espécies com ritmo semelhante, baseado em seu incremento percentual em volume. No quarto capítulo, é detalhado o procedimento sugerido de planejamento da exploração, o planejamento de rede de estradas, o cálculo do ciclo de arraste e carga do skidder, além de projetado o dimensionamento das equipes e das performances e comparado com resultados obtidos na exploração. No quinto capítulo, utilizando-se o método de razão de movimentação, alimentado com dados de crescimento das espécies segundo as parcelas permanentes, é feita uma projeção das classes diamétricas visando avaliar a sustentabilidade da taxa de corte para o período considerado. No sexto capítulo, é apresentada uma proposta de monitoramento das empresas com alguns resultados de pesquisas já realizadas na área ou em compartimentos contíguos. E, finalmente, no sétimo capítulo, são realizadas análises de viabilidade econômica do compartimento em diferentes situações de venda da madeira. Com relação aos resultados para taxa de corte do compartimento de 547 ha, foram definidos 3 grupos de espécies com diferentes ritmos de crescimento. Assim, foram definidas intensidades de corte de 32,58% para o grupo I; 48,62% para o grupo II; e 56,23% para o grupo III. Em conjunto, a extração ficou em 50,8% sobre as classes comerciais. O potencial do compartimento era de 17.021,46 m³ (31,11m³/ha) e a taxa de corte sustentável orçou em 8.649,97 m³ (15,81 m³/ha). Para recuperar essa extração, será necessário um incremento médio anual de 0,63 m³/ha/ano. Os cálculos de planejamento da exploração indicaram para a distância ótima entre estaleiros o valor de 540 m. A densidade ótima de estradas calculada foi de 18,49m/ha e a real obtida em campo foi 21m/ha. O número ótimo de pátios calculado foi de 24 pátios de estocagem, visando servir a 23 hectares cada um, com capacidade de 368m³ de madeira por pátio em duas etapas, perfazendo apenas 0,22% da área do compartimento. As cargas máximas calculadas para o skidder na unidade de produção foram de 7 ton em terreno argiloso, seco, sem estruturação e com um máximo de 15% de inclinação, e de 4,6 ton em areia solta e inclinação máxima de 10%. O tempo de ciclo médio do trator de arraste foi de 11 minutos e 42 segundos; a carga média encontrada foi de 6,11ton. A prognose de incremento indicou um incremento médio anual (IMA) de 0,64m³/ha/ano nas classes comerciais (acima de 45 de DAP) e 0,67m³/ha/ano nas classes acima de 25 de DAP. O ingresso nas classes comerciais foi de 4,17 árvores por hectare para um ciclo de 25 anos. Esses dados informam que a recuperação é viável para a taxa de corte considerada. Foi também simulada uma remoção de todas as classes comerciais (31,11 m³/ha), e o resultado como incremento para 25 anos foi de 0,35/ha/ano, repondo apenas 28% do retirado. Isso reforça a importância da avaliação da estrutura da floresta, além da taxa de corte, para garantia de um IMA passível de reposição. A classe de DAP de máxima produção nesse povoamento é a de 75 cm. Foi elaborado um checklist para checagem da sustentabilidade do sistema de manejo utilizado, havendo boa aceitação da empresa às novas técnicas de exploração. A avaliação econômica foi positiva com relação ao valor presente líquido a uma taxa de 6% a.a., atingindo R$ 439,81/ha e R$ 240.579,31 para todo o compartimento de 547 ha.por
dc.contributor.advisor1Schneider, Paulo Renato
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4787759Y8por
dc.contributor.referee1Zachow, Randolf
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4785473J5por
dc.contributor.referee2Fleig, Frederico Dimas
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4797343E4por
dc.contributor.referee3Floriano, Eduardo Pagel
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4737067Y4por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4709888Y0por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentRecursos Florestais e Engenharia Florestalpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.