Show simple item record

dc.creatorNora, Francisco Ernesto Dalla
dc.date.accessioned2016-09-09
dc.date.available2016-09-09
dc.date.issued2016-04-27
dc.identifier.citationNORA, Francisco Ernesto Dalla. INFLUENCE OF AIR TEMPERATURE IN LEAF DEVELOPMENT, VINES AND FLOWERS IN HYBRID WATERMELONS. 2016. 62 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria, Frederico Westphalen, 2016.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/4954
dc.description.abstractThe aim of this study was to evaluate the growth and development of watermelon hybrids in relation to air temperature by obtaining the thermal time for vegetative and reproductive subperiods for the hybrid cultivar Manchester and Top Gun, both early cycle were used. The experiment was conducted in an area belonging to the Federal University of Santa Maria/Campus Frederico Westphalen-RS, from September to December 2014. During the execution of the experiment, evaluations were performed every two days for the following characteristics: emission nodes/leaves, development of primary and secondary vines, and issuance of staminate flowers and pistillate. The spacing used was 1.5 m between plants and 3.0 m between rows of the crop. The values obtained for the evaluated criteria differ significantly where the hybrid Manchester demonstrated superiority over the hybrid Top Gun which presented average values of plastichrone with 16.6 °C day-1 node, the amount of nodes on the main vine was 45.8 nodes, the thermal sum for the issuance of secondary vines was 18.1 °C growing degree days-1 vine, and the final number of secondary vines and vines of 26.6, and a total number of growing degree days for staminate flower emission of 9.6 °C day-1 flower. The hybrid Top Gun was superior to the hybrid Manchester for the final number of primary vines, emitting on average 14.6 vines per plant and an accumulated growing degree day for pistillate flower emission of 51.9 °C day-1 flower. In the variables of thermal time on the main stem, primary stem, and growing degree day, the thermal time for primary and secondary vines, final number of staminate flowers and pistillate hybrids showed no statistical difference in mean values.eng
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo a Pesquisa no Estado do Rio Grande do Sul
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCitrullus lanatuspor
dc.subjectGraus-diapor
dc.subjectSoma térmicapor
dc.subjectSoma térmica acumuladapor
dc.subjectCitrullus lanatuseng
dc.subjectAir temperatureeng
dc.subjectThermal sumeng
dc.subjectAccumulated thermal sumeng
dc.titleINFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DO AR NA EMISSÃO DE FOLHAS, RAMIFICAÇÕES E FLORES EM HÍBRIDOS DE MELANCIApor
dc.title.alternativeINFLUENCE OF AIR TEMPERATURE IN LEAF DEVELOPMENT, VINES AND FLOWERS IN HYBRID WATERMELONSeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoO objetivo deste estudo foi avaliar a velocidade de emissão de órgãos vegetativos e reprodutivos para dois híbridos de melancieira em relação a temperatura do ar, com a obtenção da soma térmica acumulada. Foram utilizados os híbridos Manchester e Top Gun, ambos de ciclo precoce. O experimento foi conduzido em área pertencente à Universidade Federal de Santa Maria/Campus Frederico Westphalen RS, no período de setembro a dezembro de 2014. Durante a execução do experimento, foram realizadas avaliações a cada dois dias sobre as seguintes características: emissão de nós, emissão de ramificações primárias, secundárias, emissão de flores estaminadas e pistiladas. As variáveis foram estimadas pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear do órgão visível com a soma térmica diária acumulada a partir do transplante para o campo. Os resultados obtidos para os critérios avaliados diferiram significativamente, sendo que o híbrido Manchester demonstrou superioridade em relação ao híbrido Top Gun apresentando valores médios de plastocrono com 16,6 ºC dia nó-1, número final de nó na haste principal de 45,8 nós, soma térmica para emissão de ramificação secundária de 18,1 ºC dia-1 ramificação, número final de ramificações secundárias de 26,6 ramificações e soma térmica para emissão de flor estaminada de 9,6 ºC dia-1 flor. O híbrido Top Gun foi superior ao híbrido Manchester para as variáveis número final de ramificações primárias emitindo em média 14,6 ramificações por planta e soma térmica acumuladas para emissão de flor pistilada de 51,9 ºC dia flor-1. Nas variáveis soma térmica acumulada na haste principal, soma térmica para ramificação primária, soma térmica acumulada para ramificações primárias e secundárias, número final de flores estaminadas e pistiladas os híbridos não apresentaram diferenciação estatística dos valores médios.por
dc.contributor.advisor1Schmidt, Denise
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4799512E6por
dc.contributor.referee1Paula, Gizelli Moiano de
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4253599P7por
dc.contributor.referee2Cunha, Gilberto Rocca da
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/7899676054001352por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6740233299559031por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentAgronomiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Agronomia - Agricultura e Ambientepor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.