Show simple item record

dc.creatorPalaoro, Alexandre Varaschin
dc.date.accessioned2014-02-17
dc.date.available2014-02-17
dc.date.issued2013-02-19
dc.identifier.citationPALAORO, Alexandre Varaschin. SEXUAL SELECTION IN AEGLA LONGIROSTRI (DECAPODA: ANOMURA): MATE CHOICE, COMMUNICATION PATHWAYS AND EFFECTS ON AGGRESSIVENESS. 2013. 71 f. Dissertação (Mestrado em Ciencias Biológicas) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2013.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/5297
dc.description.abstractThis study involved two experiments that addressed mate choice, male competition for mature females and the communication pathways used by both sexes in Aegla longirostri. In the first experiment, males were paired according to body and cheliped size, and they were acclimated in the laboratory for a week. Next, they were accommodated in opposite sides of an aquarium that was divided in three parts. A container with a female inside was inserted in the center of the aquarium, according to four treatments: Fimat, perforated and translucent container holding an immature female (N = 10); FmatCV, the same container holding a mature female (N = 10); FmatV, translucent and non-perforated container holding a mature female, (N = 10); FmatC, perforated opaque container with a mature female (N = 10); NF = no female in the container. Afterwards, the males were released and left interacting for 20 min. The following variables were quantified: time of the first three bouts, time spent in aggressive acts, latency period, time that animals remained near the container and the number of antennal whips per bout second. Thus, we observed that males fight more quickly and less intensely in the presence of mature females, independently of the communication pathway used. However, both stimuli were needed to elicit a guarding behavior by the winner. Therefore, the female might be controlling the cues that advertise her receptivity, only releasing them when the preferred male is near. This causes information asymmetry between the males, which makes shorter fights. We also demonstrated the importance of bimodal stimuli (chemical + visual) for reproductive behaviors, since the behavioral repertory presented was more complex when both could be used. To assess mate choice in A. longirostri, we used a different experimental design. Animals were grouped in triads, two of them were used as choices ( targets ) and one as the choosing individual ( focal ). They were accommodated in a Y-maze in four different treatments: MD, adult male as focal animal and two females, one immature and one mature as targets (N = 8); FD, mature female as focal animal and two adult males, a large male and a smaller one as targets (N = 7); Q, like FD but the female could choose based only in chemical cues provided by the targets (N = 7); F, like FD but the female could choose based only in visual cues (N = 7). The eglids were acclimated for 10 min and then the focal animal was released for 20 min. We quantified the time spent in the corridor as an index of preference. Males did not choose between females, however the time spent in the mature female corridor was highly variable. On the other hand, the females only chose the large males when they could assess them through visual and chemical stimuli. Thus, females may control the release of cues that advertise her receptivity, and so, only preferred males could actually make the choice. The females may also need more information to choose between potential mates, since they only showed preference when two stimuli were present.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectDimorfismo sexualpor
dc.subjectCompetição por recursopor
dc.subjectAeglidaepor
dc.subjectSexual dimorphismeng
dc.subjectResource competitioneng
dc.subjectAeglidaeeng
dc.titleSELEÇÃO SEXUAL EM AEGLA LONGIROSTRI (DECAPODA: ANOMURA): ESCOLHA DE PARCEIRO, MEIOS DE COMUNICAÇÃO E EFEITOS NA AGRESSIVIDADEpor
dc.title.alternativeSEXUAL SELECTION IN AEGLA LONGIROSTRI (DECAPODA: ANOMURA): MATE CHOICE, COMMUNICATION PATHWAYS AND EFFECTS ON AGGRESSIVENESSeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoEste estudo envolveu dois experimentos que abordaram a escolha de parceiros, a competição por fêmeas maduras e os meios de comunicação utilizados pelos indivíduos de Aegla longirostri. No primeiro, machos desta espécie foram pareados conforme o tamanho corporal e dos quelípodos e, após uma semana de aclimatação em laboratório, foram acomodados em lados opostos de um aquário dividido em três partes. No centro deste aquário foi inserido um recipiente que continha uma fêmea, conforme quatro tratamentos: Fimat, recipiente translúcido e perfurado que continha uma fêmea imatura (N = 10); FmatCV, igual ao anterior, porém com uma fêmea madura (N = 10); FmatV, recipiente sem perfurações, translúcido e com fêmea madura (N = 10); FmatC, recipiente perfurado, opaco e com fêmea madura (N = 10); NF = sem fêmea, recipiente vazio (N = 5). Então, os machos eram liberados e deixados para interagir por 20 min. Foram quantificados: o tempo dos três primeiros confrontos, tempo que os animais passaram em atos agressivos, tempo de latência, tempo que permaneceram próximos ao recipiente e o número de antenadas dividido pelo tempo de confronto. Com isso, foi observado que os machos possuem embates mais rápidos e menos intensos na presença de fêmeas maduras, independente do meio de comunicação. Porém, foram necessários ambos os estímulos para que o macho vencedor ficasse mais tempo próximo do recipiente, em um comportamento possivelmente de guarda. Logo, a fêmea pode estar controlando o estímulo que anuncia sua receptividade, liberando-o apenas quando o macho preferido está próximo, o que causa assimetria de informações entre os combatentes, fazendo com que o confronto termine mais cedo. Também foi demonstrada a importância de estímulos bimodais (químico + visual) para comportamentos reprodutivos, uma vez que na presença destes, o repertório apresentado foi mais complexo. Para verificar a escolha de parceiro pelos sexos de A. longirostri, foi utilizado outro design experimental que foi composto de três animais, sendo dois para serem escolhidos ( alvos ) e um para escolher ( discriminante ), dispostos em um aquário em Y, em quatro tratamentos: MD, macho adulto como animal discriminante e duas fêmeas, uma imatura e outra madura, como alvos (N = 8); FD, fêmea madura como discriminante e dois machos adultos, um grande e outro pequeno, como alvos (N = 7); Q, igual ao anterior, porém a fêmea poderia escolher baseada apenas em estímulos químicos dos alvos (N = 7); V, igual ao FD, porém a fêmea poderia escolher utilizando apenas os estímulos visuais dos alvos (N = 7). Os eglídeos eram aclimatados por 10 min e, após, o animal discriminante era liberado por 20 min; o tempo que este permanecia em cada corredor era quantificado e utilizado como índice de escolha. Os machos não realizaram escolha, porém houve muita variação de tempo permanecido no corredor que havia fêmea madura. Já as fêmeas só escolheram machos grandes quando este poderia liberar estímulos visuais e químicos concomitantemente. Portanto, a fêmea provavelmente controla a liberação dos químicos que indicam sua receptividade, por isso só alguns machos realizaram a escolha. Elas também necessitam de mais informações para escolher um parceiro, uma vez que só realizaram escolha quando havia dois estímulos presentes.por
dc.contributor.advisor1Kotzian, Carla Bender
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4786912U4por
dc.contributor.referee1Machado, Glauco
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8415805790433908por
dc.contributor.referee2Peres, Luciane Ayres
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/5408553163437068por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8199384976057695por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentCiências Biológicaspor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biodiversidade Animalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICASpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.