Show simple item record

dc.creatorGubiani, Marileda Barichello
dc.date.accessioned2011-12-12
dc.date.available2011-12-12
dc.date.issued2011-03-02
dc.identifier.citationGUBIANI, Marileda Barichello. HABILIDADES PRÁXICAS OROFACIAIS PRÉ E PÓS-TERAPIA EM CRIANÇAS COM DESVIO FONOLÓGICO. 2011. 91 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/6507
dc.description.abstractApproximately between 4 or 5 years of age, the child has already acquired all the phonemes of the adult phonological system. However, this process does not always occur according to expectations, being noted separations/deviations in the acquisition of speech sounds. In order to the speech to take place properly, it is necessary the minimal of structural development from the vocal tract and motor skills, and it is important that phonetic-articulatory and praxis issues are always investigated. This study aimed to verify the evolution of phonological, praxis and generalization of children with phonological deviation submitted to phonological therapy associated with the stimulation of oral praxis skills. The sample was composed of six subjects (three girls and three boys) aged between 5:4 and 7:0 at the beginning of therapy. The subjects were divided in three groups, all receiving phonological therapy, being that in one group was added praxis stimulation of face and tongue (GFoLFa), and tongue praxis stimulation (GFoL) in another, the third group was submitted only to phonological therapy (GFo). All were evaluated before and after therapy regarding: phonological system (Yavas, Hernandorena and Lamprecht, 1991); Orofacial Praxis Test (Bearzotti, Tavano e Fabbro, 2007) and Bucofacial Articulatory Praxis test (Hage, 2000). The results were analyzed descriptively by comparing the three groups. The results evidenced that all groups presented evolution in the phonetic inventory, the GFoLFa obtained bigger evolution in the PCC-R, in the oral praxis skills and a larger number of generalizations (in the four analyzed types). Still, GFoL achieved considerable developments regarding oral praxis skills within a class of sounds, and GFo presented generalization to another class of sounds. This way, new ways of study applying this model are suggested, so that these results can be confirmed.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFalapor
dc.subjectDistúrbios da falapor
dc.subjectFonoterapiapor
dc.subjectCriançapor
dc.subjectGeneralização.por
dc.subjectSpeecheng
dc.subjectSpeech disorderseng
dc.subjectSpeech therapyeng
dc.subjectChildeng
dc.subjectGeneralizationeng
dc.titleHABILIDADES PRÁXICAS OROFACIAIS PRÉ E PÓS-TERAPIA EM CRIANÇAS COM DESVIO FONOLÓGICOpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoNo Português Brasileiro, aproximadamente entre 4 ou 5 anos de idade, a criança já adquiriu todos os fonemas do sistema fonológico adulto. Porém, este processo nem sempre ocorre de acordo com o esperado, verificando-se afastamentos/desvios na aquisição dos sons da fala. Para que a fala aconteça de maneira adequada, é necessário o mínimo de desenvolvimento estrutural do aparelho fonador e de habilidades motoras, e é importante que sempre sejam investigadas questões fonéticas-articulatórias e práxicas. Este estudo teve como objetivo verificar a evolução fonológica, das habilidades práxicas orofaciais e as generalizações de crianças com desvio fonológico submetidos à terapia fonológica associada ou não a estimulação de habilidades práxicas de língua e de face. A amostra foi composta por seis sujeitos (três meninas e três meninos), com idades entre 5:4 e 7:0 no início da terapia. Os sujeitos foram divididos em três grupos, recebendo todos terapia fonológica, sendo os do grupo estudo tratados com estimulação de habilidades práxicas de face e língua (GFoLFa), e com exercícios de habilidades práxicas de língua (GFoL), e o grupo controle submetido apenas à terapia fonológica (GFo). Todos foram avaliados pré e pós-terapia quanto ao sistema fonológico (Yavas, Hernandorena e Lamprecht, 1991); ao Teste de Praxias Orofaciais (Berzoatti, Tavano e Fabbro, 2007); e ao Teste de Praxias Articulatórias e Bucofaciais (Hage, 2000). Os resultados foram analisados e descritos comparando os três grupos. Os resultados obtidos evidenciaram que todos os grupos apresentaram evoluções no inventário fonético, o GFoLFa obteve evoluções maiores no PCC-R, nas habilidades práxicas orofaciais e um maior número de generalizações fonológicas, considerando os quatro tipos analisados. O GFoL apresentou evoluções quanto as habilidades práxicas orofaciais e importante número de generalizações dentro de uma classe de sons; e GFo apresentou generalização para outra classe de sons. Conclui-se que os grupos que receberam intervenção práxica obtiveram maiores evoluções, porém, sugerem-se novos estudos aplicando este modelo, para que possam ser confirmados esses resultados, com outras amostras.por
dc.contributor.advisor1Keske-Soares, Marcia
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4768009P6por
dc.contributor.referee1Mezzomo, Carolina Lisbôa
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4779654H0por
dc.contributor.referee2Gomes, Erissandra
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4730990Z5por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4481770P4por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentFonoaudiologiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação Humanapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.