Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Maria Beatriz Oliveira da
dc.contributor.advisorMello, Rafaela da Cruz
dc.creatorDiniz, Larissa Oliveira Sudário
dc.date.accessioned2017-08-21T16:52:05Z
dc.date.available2017-08-21T16:52:05Z
dc.date.issued2015-12-02
dc.date.submitted2015
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/11431
dc.descriptionTrabalho de conclusão de curso (graduação) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Curso de Direito, RS, 2015.por
dc.description.abstractCivilization is a process that ends in distinguish the members of a group ("we") those that are external ("them"), making it by creating boundaries that do not bolster in natural or immutable elements, but in artificial constructions for which it invents a history and a meaning. For this process of construction, collaborate looks of the members and of the non-members of a given society. Brazil is a deeply scarred country for such separations, whose exhibition illustrates that the "myth of racial democracy" as a mark of brazilianness, is a distortion of the unequal relations established basedon ethnic distinctions, gender, sexual orientation, religion and regional origins; this sets the scope of work and endowed with history and allowed the emergence of Rio Grande do Sul as is know it today, in a process of invention that met the interests and political appeals of regional elites, with the contribution of both traditionalists theoretical, for critical. On the basis of this invention are images and arguments that sedimented representations that still populate the regional imaginary and are the basis of the forms of prejudice suffered by national immigrants within this state, stereotyped by the tools of a gaucho speech, which gives them social inferiority. In this context, the problem of guiding research of this paper is: How does the ideology of Gaucho Traditionalism as a social and discursive phenomenon, reflected in the regional nature of hate speech manifestations? And how the Judiciary rio-grandense has positioned itself on this subject? We used the deductive method of approach and methods of historical and monographic procedure and to better work with the theme, the work is divided into two main parts: the first analyzes what is ideology, from initial conception to its applicability the traditionalism rio-grandense as well as the formation of the identity of the gaucho and the configuration of the ideological phenomenon, social and discourse of localism. In the sequel, we discuss what they are and how to configure the hate speech and the regional segregation, considering the factual aspects to their legal consequences, in reason of the proliferation of regional nature of hateful language in order to understand what the legal demonstrations about this proven segregation.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectTradicionalismopor
dc.subjectDireitopor
dc.subjectTraditionalismpor
dc.subjectLawpor
dc.subjectGaúchopor
dc.subjectIdeologiapor
dc.subjectBairrismopor
dc.subjectIdentidadepor
dc.subjectDiscriminaçãopor
dc.subjectPreconceitopor
dc.subjectSolidariedadepor
dc.subjectIgualdadepor
dc.subjectReconhecimentopor
dc.subjectGauchopor
dc.subjectLocalismpor
dc.subjectIdeologypor
dc.subjectIdentitypor
dc.subjectDiscriminationpor
dc.subjectPreconceptionpor
dc.subjectSolidaritypor
dc.subjectEqualitypor
dc.subjectRecognitionpor
dc.titleTêmis dos pampas: a atuação do judiciário gaúcho no combate à discriminação de cunho regional materializada nos discursos de ódiopor
dc.title.alternativeTemis of pampas: the performance of the gaúcho judiciary in combating discrimination of regional natureeng
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Graduaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasil.por
dc.degree.graduationDireitopor
dc.description.resumoA civilização é um processo que acaba por distinguir os integrantes de um grupo (“nós”) daqueles que lhe são externos (“eles”), fazendo-o por meio da criação de fronteiras que não se amparam em elementos naturais ou imutáveis, mas em construções artificiais para as quais se inventa uma história e uma significação. Para esse processo de construção, colaboram os olhares dos membros e dos não-membros de determinada sociedade. O Brasil é um país profundamente marcado por tais separações, cuja exposição permite ver que o “mito da democracia racial”, como marca da brasilidade, é um falseamento das relações desiguais que se estabelecem com base em distinções étnicas, de gênero, orientação sexual, religião e procedência regional; esta configura o escopo do trabalho, que dotou de história e permitiu o surgimento do Rio Grande do Sul como é conhecido hoje, em um processo de invenção que atendeu aos interesses e apelos políticos das elites regionais, com a contribuição tanto de teóricos tradicionalistas, quanto dos críticos. Na base dessa invenção, estão imagens e argumentos que sedimentaram representações que até hoje povoam o imaginário regional e estão na base das formas de preconceito de que são vítimas os imigrantes nacionais dentro deste estado, estereotipados por meio das ferramentas de um discurso gauchesco, que lhes atribui inferioridade social. Nesse contexto, o problema de pesquisa norteador deste trabalho é: De que forma a ideologia do Tradicionalismo gaúcho, enquanto fenômeno social e discursivo, reflete-se nas manifestações de discurso de ódio de cunho regional? E de que maneira o Judiciário rio-grandense tem se posicionado sobre essa temática? Utiliza-se o método dedutivo de abordagem e os métodos de procedimento histórico e monográfico e, para melhor trabalhar com o tema, divide-se o trabalho em duas grandes partes: a primeira analisa o que é ideologia, desde as concepções iniciais à sua aplicabilidade ao Tradicionalismo rio-grandense, bem como a formação da identidade do gaúcho e a configuração do fenômeno ideológico, social e discursivo do bairrismo. Na sequencia, aborda-se o que são e como se configuram os discursos de ódio e a segregação regional, considerando dos aspectos fáticos às suas consequências jurídicas, em razão da proliferação da linguagem odienta de cunho regional, a fim de perceber quais as manifestações jurídicas acerca desta comprovada segregação.por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::DIREITOpor
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Sociais e Humanaspor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

  • TCC Direito [306]
    Coleção de trabalhos de conclusão do Curso de Direito

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.