Show simple item record

dc.contributor.advisorAmaral, Anne Santos do
dc.creatorGaspari, Renata de
dc.date.accessioned2014-04-23
dc.date.accessioned2014-04-23T14:28:52Z
dc.date.available2014-04-23T14:28:52Z
dc.date.issued2013-06-18
dc.date.submitted2013
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/154
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Curso de Especialização em Residência em Área Profissional de Saúde- Medicina Veterinária: Clínica Médica de Pequenos Animais, RS, 2013.por
dc.description.abstractIn small animal clinical practice, the intoxications are relatively frequent, but its diagnosis is often difficult due to lack of specific tests. This paper reports the effects of intoxication by Cycas revoluta, an ornamental plant widely used in landscaping and indoor decoration, in three dogs attended at University Veterinary Hospital of UFSM. The ingestion of this plant may cause hepatotoxicity, acute gastrointestinal disorders and neurological alterations. The animals in this study remained asymptomatic for an average of 21 days after an episode of acute vomiting after ingestion of cycad seeds. At presentatior all patients had ascites, high serum activity of alkaline phosphatase and alanine aminotransferase, hypoproteinemia and hypoalbuminemia, unlike the literature reports, which indicate acute gastrointestinal signs and low frequency of ascites. The intoxicated animals had a prolonged disease course, with progressive worsening of liver function and development of chronic regenerative anemia associated with chronic blood loss from the gastrointestinal tract, confirmed by the presence of fecal occult blood. Although the supportive therapy adopted, all animals died, different than from mortality rates between 30-50% reported by other reports. These findings point to the need for the inclusion of Cycas revoluta intoxication as differential diagnosis in dogs showing acute vomiting, chronic hepatic disease and chronic progressive anemia, as there are no specific tests or laboratory and pathologic findings, and the etiological relationship should be based on observation of (or the possibility of) ingestion of the plant.eng
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertoeng
dc.subjectPalmeira-cicapor
dc.subjectPalmeira-sagupor
dc.subjectHepatotoxicidadepor
dc.subjectHemorragia gastrintestinal crônicapor
dc.subjectAnemiapor
dc.titleIntoxicação por Cycas revoluta como causa de hepatopatia crônica em cãespor
dc.title.alternativeCycas revoluta intoxication as cause of chronic hepatopathy in dogseng
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso de Especializaçãopor
dc.degree.localSanta Maria, RS, Brasilpor
dc.degree.levelEspecializaçãopor
dc.degree.specializationResidência em Área Profissional de Saúde- Medicina Veterinária: Clínica Médica de Pequenos Animaispor
dc.description.resumoNa rotina da clínica médica de pequenos animais as intoxicações têm uma ocorrência relativamente frequente, mas seu diagnóstico muitas vezes é difícil pela falta de exames específicos. Este artigo relata os efeitos da intoxicação por Cycas revoluta, uma planta ornamental muito utilizada no paisagismo de ambientes internos e externos, em três cães atendidos no Hospital Veterinário Universitário da UFSM. A ingestão desta planta pode causar hepatotoxicidade, transtornos gastrointestinais agudos e alterações neurológicas. Os animais deste estudo mantiveram-se assintomáticos em média por 21 dias depois de um episódio de vômito agudo após a ingestão das sementes de cica. No primeiro atendimento todos apresentavam ascite, atividade sérica elevada de fosfatase alcalina e alanina aminotransferase, hipoproteinemia e hipoalbuminemia, diferentemente dos relatos de literatura, que apontam sinais gastrintestinais agudos e baixa frequência de ascite. Os animais intoxicados tiveram uma evolução prolongada da doença, com piora progressiva da função hepática e desenvolvimento de anemia regenerativa crônica, associada à perda crônica de sangue pelo trato gastrintestinal, confirmada pela presença de sangue oculto fecal. Apesar da terapia de suporte adotada, todos os animais morreram, diferente da taxa de mortalidade entre 30 e 50% relatada na literatura. Esses achados apontam para a necessidade da inclusão da intoxicação por Cycas revoluta como diagnóstico diferencial em cães com sinais de vômito agudo, insuficiência hepática crônica e anemia progressiva, já que não existem exames ou achados laboratoriais ou patológicos específicos e a relação etiológica deve ser baseada na observação ou na possibilidade de ingestão da planta.por
dc.publisher.unidadeCentro de Ciências Ruraispor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 6.3 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.