Show simple item record

dc.creatorPezzutti, Raúl Vicente
dc.date.accessioned2011-09-08
dc.date.available2011-09-08
dc.date.issued2011-03-18
dc.identifier.citationPEZZUTTI, Raúl Vicente. GROWTH AND WOOD QUALITY OF Pinus taeda L. PLANTATIONS IN RESPONSES TO PRUNING AND UNCOMMERCIAL THINNING. 2011. 179 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais e Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/3738
dc.description.abstractThe aim of this thesis was to study the effect of pre-commercial thinning and pruning on growth, yield, wood quality and economic results, on a 15th year old stand of Pinus taeda L. in the Argentinean northeast. The study was established in a deep red clay soil, with a systematic design of blocks for thinning intensity and sub-blocks for pruning intensity. The thinning treatments, performed at 3 year old were: 1666 (without thinning); 833; 416 and 208 trees ha-1. The pruning were done annually, starting at 3 year old, and applied by 2, 3 or 4 consecutive years removing 30, 50 and 70 % of the living crown respectively. The general model obtained by linear regression allowed to estimate, with good precision (e%=5,9), the quadratic mean diameter (dg) in function of age. The variable remnants trees, remnant crown, and number of prunings were considered to estimate the general function coefficients. At 15 year old, the dg varied from 25,6 to 41,5 cm to 1666 and 208 trees ha-1 respectively without pruning. The dg was negatively affected by pruning and positively affected by thinning. The height was not affected by pruning and thinning. The height of the stand was 23,8 m. The normal distribution represented the dg data in a best way. With 1666 trees ha-1 the number of live trees began to decline at age 6. The SDI was 1181 trees ha-1. The trees showed more taper when thinning were more intensive. The basal area varied from 56,3 and 27 m2 trees ha-1 for 1666 and 208 trees ha-1 respectively, without punning. The volumes were higher in the higher densities varying between 679,9 and 327,4 m3 ha-1 with 833 and 208 trees ha-1 respectively. When the trees were pruned the volume ha-1 decreased between 1,6 and 10,4 % depending on the density. The production with more value was showed by 416 trees ha-1. The crown ratio was negatively affected by pruning and positively affected by thinning; estimated values of 59,1 and 22,7 % were obtained with 208 and 1666 trees ha-1 respectively. Wood density was affected by thinning showing highest estimated values when thinning were more intensive; varying between 404 and 342,8 Kg m-3 for 208 and 1100 trees ha-1 respectively. The latewood % showed the same behavior than wood density the estimated values varied between 40,2 and 29,3 % for 208 and 1200 trees ha-1 respectively. In general terms, the n° of rings by inch near the pith was lower than 2 and higher than 4 near the bark. The maximum values of NPV; IRR; B/C and AEV were 1055,6 US$ ha-1; 11,9 %; 1,43; e 123,3 US$ ha-1 planting 833 trees ha-1 thinning to 416 trees ha-1 and pruning, in a15 years rotation. The best economical results were obtained with treatments of pruning and thinning.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCrescimentopor
dc.subjectProduçãopor
dc.subjectQualidade da madeirapor
dc.subjectAnálise econômicapor
dc.subjectDesbastepor
dc.subjectDesramapor
dc.subjectGrowth, yield, wood quality, economical analyses, thinning, pruning.eng
dc.titleEfeitos biológicos e econômicos de tratamentos silviculturais em plantios de Pinus taeda L. no Nordeste Argentinopor
dc.title.alternativeGrowth and wood quality of Pinus taeda L. plantations in responses to pruning and uncommercial thinningeng
dc.typeTesepor
dc.description.resumoA presente tese foi realizada com o objetivo de estudar o efeito dos desbastes précomerciais e das podas no crescimento, produção, qualidade da madeira e resultado econômico, em um povoamento de Pinus taeda L. de 15 anos de idade, no Nordeste da Argentina. O estudo localizou-se em solo vermelho argiloso profundo com um delineamento sistemático de faixas para intensidades de desbastes e subfaixas para intensidades de podas. Os tratamentos de desbaste, realizados aos 3 anos de idade, foram: 1666 (sem desbaste); 833; 416 e 208 árvores ha-1. As podas foram realizadas a partir dos 3 anos e com frequência anual por 2, 3 ou 4 anos consecutivos, com remoção de 30, 50 e 70 % da copa viva, respectivamente. O modelo geral obtido por regressão linear permitiu estimar o diâmetro da árvore de área basal média (dg) em função da idade com boa precisão (e%=5,9), sendo as variáveis: árvores remanescentes, copa remanescente e número de podas consideradas nos modelos estimadores dos coeficientes da função geral. Aos 15 anos de idade, os diâmetros variaram entre 25,6 e 41,5 cm, para as densidades de 1666 e 208 árvores ha-1, respectivamente, sem poda. O dg foi afetado negativamente pelas podas e positivamente pelos desbastes. A altura não foi afetada pelos desbastes e as podas. O povoamento apresentou uma altura de 23,8 metros. A distribuição normal foi a que melhor representou os dados do dg. Na densidade de 1666 árvores ha-1, o número de árvores vivas começou a diminuir aos 6 anos. O IDR foi de 1181 árvores ha-1. As árvores apresentaram-se mais cônicas quando o desbaste foi mais intenso. A área basal variou entre 56,3 e 27 m2 ha-1 para os 1666 e 208 árvores ha-1 respectivamente, sem poda. Os volumes foram maiores nas maiores densidades de árvores ha-1, variando entre 679,9 e 327,4 m3 ha-1, com 833 e 208 árvores ha-1 respectivamente. Quando as árvores foram podadas, o volume ha-1 apresentou diminuições entre 1,6 e 10,4 %, conforme a densidade. A densidade de 416 árvores ha-1 apresentou a maior produção de produtos de valor. A proporção de copa viva foi afetada negativamente pela poda e positivamente pelos desbastes; valores estimados de 59,1 e de 22,7 % foram obtidos para 208 e 1666 árvores ha-1 respectivamente. A densidade da madeira foi afetada pelos desbastes, apresentando maiores valores estimados quando estes foram mais intensos, variando entre 404 e 342,8 kg m-3 para 208 e 1100 árvores ha-1. A % de lenho tardio apresentou o mesmo comportamento que a densidade e os valores estimados variaram entre 40,2 e 29,3 % para 208 e 1200 árvores ha-1, respectivamente. Em geral, o número de anéis por polegada foi menor que 2 nas áreas próximas à medula e superior a 4 nas próximas à casca. Os valores máximos de VPL, TIR, B/C e VAE foram de 1055,6 US$ ha-1; 11,9 %; 1,43; e 123,3 US$ ha-1 para o plantio de 833 árvores ha-1 desbastado a 416 árvores ha-1 com poda, em 15 anos. Os melhores resultados econômicos foram obtidos com tratamentos desbastados e com poda.por
dc.contributor.advisor1Fleig, Frederico Dimas
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4797343E4por
dc.contributor.referee1Moscovich, Fabio Abel
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4480451Z0por
dc.contributor.referee2Streck, Nereu Augusto
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4721150P1por
dc.contributor.referee3Floriano, Eduardo Pagel
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4737067Y4por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4275116Z8por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentRecursos Florestais e Engenharia Florestalpor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.