Show simple item record

dc.creatorCosta, Cassiane da
dc.date.accessioned2015-02-26
dc.date.available2015-02-26
dc.date.issued2014-07-02
dc.identifier.citationCOSTA, Cassiane da. WE ARE BACHELORS : THE SOCIAL CONSTRUCTION OF BACHELORDOM IN FAMILY FARMING OF ALEGRETE/RS. 2014. 213 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/3814
dc.description.abstractThis study had as objective to understand bachelordom in family farming of Alegrete, in Rio Grande do Sul State, Brazil. It is a case study with the emphasis on life stories of six bachelor farmers through semi-structured interviews with them and interviews with key informants of the city. Beside the interviews, it was used bibliographical and documental research and observation technique. It was based on the theoretical foundation of the concept célibat paysan , symbolic power, symbolic domination and male domination by Pierre Bourdieu. Bachelordom features very prominently in the rural area of Alegrete, related to masculinisation processes and population ageing. Bachelors from the rural area are concentrated in two social groups: family farmers who work in ranching and cowboys working in farms. Bachelordom phenomenon has been expanding over time favored by the concentration of soldiers army and gauchos (people from Rio Grande do Sul) in that area, the concentration of land tenure, the modernization process and the development of gaucho ideology. As a social field, family provides the basis of affectivity for the bachelors, but is also a space of power play which has been changing over the last decades. There are some characteristics which are shared among the bachelors, as the commitment to family, the positive appreciation of rural life, work and Rio Grande do Sul culture, besides the wish of personal independence. Those similarities provide the emergence of the bachelors‟ identity. Bachelordom is a result of the men‟s decision in keeping single based on several factors as symbolic domination in terms of social and gender classes and ethnicity; family strategies; the condition of masculinisation and rural population ageing; and the positive appreciation of the rural bachelor‟s identity. So, bachelordom in family farming of Alegrete/RS is understood as a social construction.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectSolteiricepor
dc.subjectHomens ruraispor
dc.subjectAgricultura familiarpor
dc.subjectGêneropor
dc.subjectReprodução socialpor
dc.subjectBachelordomeng
dc.subjectRural meneng
dc.subjectFamily farmingeng
dc.subjectSocial reproductioneng
dc.title SOMOS SOLTEIRÕES : A CONSTRUÇÃO DA SOLTEIRICE NA AGRICULTURA FAMILIAR DE ALEGRETE/RSpor
dc.title.alternative WE ARE BACHELORS : THE SOCIAL CONSTRUCTION OF BACHELORDOM IN FAMILY FARMING OF ALEGRETE/RSeng
dc.typeTesepor
dc.description.resumoO objetivo geral deste trabalho foi compreender a solteirice masculina na agricultura familiar do município de Alegrete, estado do Rio Grande do Sul. A modalidade de pesquisa utilizada foi o estudo de caso. Dei ênfase às trajetórias de vida de agricultores familiares solteirões. Realizei entrevistas semi-estruturadas com seis agricultores familiares solteirões, e com informantes-chave do município. Além das entrevistas, utilizei a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e a técnica da observação. Busquei fundamentação teórica nos conceitos de célibat paysan, poder simbólico, dominação simbólica e dominação masculina de Pierre Bourdieu. A solteirice de homens aparece de forma expressiva no espaço rural de Alegrete, relacionada com processos de masculinização e de envelhecimento da população. Os solteirões do espaço rural do município se concentram basicamente em dois grupos sociais: agricultores familiares que trabalham com pecuária de corte e peões assalariados de fazendas. O fenômeno da solteirice expandiu-se ao longo do tempo, favorecido pela concentração de exércitos de soldados e de gaúchos primitivos na região, pela concentração da posse de terra, pelo processo de modernização e pelo desenvolvimento da ideologia do gauchismo. A família, como campo social, fornece a base de afetividade para os solteirões, mas também é um espaço de disputa por poder, que vem se transformando nas últimas décadas. Existem algumas características que são compartilhadas pelos solteirões, como o apego à família, a valorização positiva da vida rural, do trabalho e da cultura gaúcha, além do desejo de autonomia pessoal. Essas semelhanças proporcionam a emergência da identidade de homem rural solteirão. A solteirice é o resultado da decisão dos homens em manterem-se solteiros, que se fundamenta em diversos fatores, dentre os quais se destacam a dominação simbólica, em termos de classe, gênero e etnia; as estratégias familiares; a condição de masculinização e envelhecimento da população rural, e a valorização positiva da identidade de homem rural solteirão. Dessa forma, a solteirice masculina na agricultura familiar alegretense é compreendida como uma construção social.por
dc.contributor.advisor1Marin, Joel Orlando Bevilaqua
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4795678H6por
dc.contributor.referee1Zanini, Maria Catarina Chitolina
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784182T6por
dc.contributor.referee2Farinatti, Luís Augusto Ebling
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/1043707938149901por
dc.contributor.referee3Froehlich, José Marcos
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4703500Y6por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6058841488562456por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentAgronomiapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Extensão Ruralpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.