Show simple item record

dc.creatorKuinchtner, Bruno Castro
dc.date.accessioned2017-06-12
dc.date.available2017-06-12
dc.date.issued2016-02-24
dc.identifier.citationKUINCHTNER, Bruno Castro. Natural grassland management on rotational grazing under two thermal sums as rest intervals. 2016. 80 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufsm.br/handle/1/4378
dc.description.abstractThe objective of this study was to evaluate the use of a thermal sum rest period on natural grassland as a grazing management, these grazing intervals has been used since 2009. During April 2013 to April 2014, we evaluated the effect of this grazing management on vegetation and its consequences in the performance, grazing behavior and dry matter intake of beef heifers on Pampa biome (southern Brazil). A complete randomized block design experiment with two treatments and three replications was conducted with Angus heifers. The treatments were two thermal sums: 375 and 750 degrees-days (DD) determined by the intervals between rotational grazing periods, the 375 DD treatment favors prostrate species (Axonopus affinis and Paspalum notatum) and the 750 DD treatment favors tussock species (Aristida laevis and Saccharum angustifolius). The 23 ha experimental area was divided into six experimental units, which housed two treatments and three replications. The experiment was conducted with beef cattle heifers testers with average age of 7 months old and initial weight of 150.5 ± 5 kg. Every heifers received whole rice bran supplement at a rate of 1.0% of body weight per day during cool season (April to September) and had free access to mineral supplement. Treatments had no differences on vegetation, average daily weight, dry matter intake, grazing behavior variables and beef production. Thermal sum rest intervals could be a valuable grazing management tool to improved animal production per area and forage quality, besides high animal stocking rate.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Santa Mariapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectBioma Pampapor
dc.subjectGraus-diapor
dc.subjectProdução Animalpor
dc.subjectConsumo Ingestivopor
dc.subjectLivestockeng
dc.subjectPampa biomeeng
dc.subjectLeaf Elongation Durationeng
dc.subjectBeef Cattleeng
dc.titleManejo de pastagem natural em pastoreio rotativo utilizando duas soma térmica como intervalo de descansopor
dc.title.alternativeNatural grassland management on rotational grazing under two thermal sums as rest intervalseng
dc.typeTesepor
dc.description.resumoO objetivo deste trabalho foi avaliar a utilização de duas somas térmica, expressa em graus-dia, como intervalo de descanso entre pastejos em pastagem natural. Durante Abril de 2013 a Abril de 2014, foi avaliado o efeito do manejo do pasto, na vegetação e suas consequências no desempenho, comportamento ingestivo e no consumo de matéria seca de bezerras de corte manejadas em pastoreio rotativo. O delineamento experimental foi o de blocos completamente casualizados, com dois tratamentos e três repetições de área, as repetições foram subdivididas em sete e oitos piquetes, para cada um dos tratamentos. O experimento foi realizado em área pertencente à Universidade de Santa Maria, localizada região fisiográfica da Depressão Central do Rio Grande do Sul, Brasil. Os tratamentos foram duas somas térmicas: 375 e 750 graus-dias (GD), que determinaram os intervalos entre os pastoreios, o tratamento de 375 GD, foi definido pela duração da expansão foliar de espécies de crescimento prostrado (Axonopus affinis e Paspalum notatum) e o tratamento de 750 GD, pela duração da expansão foliar de espécies cespitosas (Aristida laevis e Saccharum angustifolius). A área experimental possuía 23 ha e foi dividida em seis unidades experimentais, que abrigaram os dois tratamentos e as três repetições. Trinta bezerras de corte da raça Red Angus foram utilizadas como animais testers e número variável de reguladoras da mesma categoria e raça. As bezerras possuíam idade média inicial de 7 meses e peso médio inicial de 150 ± 5 kg. Durante a estação fria as bezerras receberam farelo de arroz integral corrigido com 4% de calcário calcítico, como suplemento a uma taxa de 1,0% do peso vivo diariamente às 14 horas. Em ambos os tratamentos a massa de forragem, o desempenho, o comportamento ingestivo e o consumo de matéria seca não diferiram (P<0.05). A soma térmica em graus-dia baseada na característica morfogênica, taxa de elongação foliar como intervalo de descanso entre pastejos pode ser uma ferramenta de manejo para melhorar a produção animal por área, a qualidade da forragem, além de possibilitar elevada taxa de lotação.por
dc.contributor.advisor1Quadros, Fernando Luiz Ferreira de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4780560Z8por
dc.contributor.referee1Pötter, Luciana
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4796005T7por
dc.contributor.referee2Alves Filho, Dari Celestino
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4728123E5por
dc.contributor.referee3Souza, Alexandre Nunes Motta de
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4764557J9por
dc.contributor.referee4Soares, André Brugnara
dc.contributor.referee4Latteshttp://lattes.cnpq.br/8437766432982210por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4593423749512536por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentZootecniapor
dc.publisher.initialsUFSMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Zootecniapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


O Manancial - Repositório Digital da UFSM utiliza a versão 4.1 do software DSpace.
Av. Roraima, 1000. Cidade Universitária "Prof. José Mariano da Rocha Filho".
Bairro Camobi. CEP: 97.105-900. Santa Maria, RS, Brasil.